Veja quem foram os primeiros reféns libertados pelos terroristas do Hamas


Enquanto os reféns eram liberados, caminhões com ajuda seguiam para dentro de Gaza como parte do acordo entre Israel e Hamas. No inicio da tarde, o presidente americano, Joe Biden, fez um pronunciamento sobre o primeiro dia de trégua e a libertação dos reféns. Yaffa Adar, de 85 anos, é a mais velha dos reféns libertados.
Jornal Nacional/Reprodução
Ao longo da tarde, o mundo foi conhecendo os detalhes dos primeiros reféns liberados pelos terroristas do Hamas. O grupo ainda mantém mais de 200 sequestrados.
Yaffa Adar, de 85 anos, é a mais velha dos reféns libertados. Ela estava em casa, no kibutz Nir Oz, quando foi sequestrada pelos terroristas do Hamas. A imagem dela sendo levada em um carrinho de golfe correu o mundo e virou um dos símbolos da barbárie. O neto Tamir, de 38 anos, ainda está em poder do Hamas.
Adina Moshe, de 72 anos, também morava em Nir Oz. De acordo com a família, ela adora cozinhar e cuidar de plantas. Adina viu o marido, Said, ser assassinado antes de ser levada de moto à força para Gaza.
Margalit Mozes, de 78 anos, também foi sequestrada em Nir Oz. Voluntária de um hospital em Israel, ela sobreviveu ao câncer e, de acordo com parentes, tem problemas de saúde que exigem cuidados diários. O marido Gadi também foi sequestrado.
Daniele Aloni, de 44 anos, e sua filha Emilia, de 5 anos, também foram libertadas. Mas a irmã de Daniele, Sharon Aloni Cunio, seu marido, David Cunio, e suas filhas gêmeas de 3 anos, Ema e Yuly, seguem sequestrados.
Doron Katz Asher, de 34 anos, e suas duas filhas Raz, de 4 anos, e Aviv, de 2 anos, a mais nova dos reféns libertados, foram capturadas quando visitavam parentes em Nir Oz. A família tem dupla nacionalidade: alemã e israelense.
No dia do ataque, o marido de Doron viu um vídeo da mulher e das filhas sendo colocadas em um caminhão com outros reféns e conseguiu rastrear o sinal do celular de Doron vindo da Faixa de Gaza. Horas depois, ele pediu muito que não machucassem a mulher e as meninas. Nesta sexta-feira (24), as três voltaram pra casa.
Ohad Munder-Zichri fez 9 anos no cativeiro, em Gaza, dia 23 de outubro. Os parentes dele fizeram uma festa simbólica à distância. Nesta sexta, ele foi liberado ao lado da mãe, Keren Munder, de 54 anos, e da avó Ruthi Munder, de 78. Três gerações de uma mesma família. O avô de Ohad, marido de Ruthi, ainda está mantido refém pelos terroristas.
Channah Peri, de 79 anos, foi levada junto com o filho Nadav. O outro, Roi, foi assassinado pelos terroristas. Channah e Nadav têm diabetes. Ela foi libertada nesta sexta.
Hanna Katzir, de 77 anos, foi levada junto com o filho, Elad. No último dia 9, ela apareceu num vídeo divulgado pelos terroristas. Hanna está sentada numa cadeira de rodas enquanto fala para a câmera. Na última terça (21), a jihad islâmica chegou a anunciar que ela tinha morrido.
26 tailandeses, trabalhadores rurais em Israel, também foram sequestrados 7 de outubro; 10 deles foram libertados nesta sexta. Entre eles, Natthaporn Onkaew, de 26 anos. A mãe contou que, no dia dos atentados, o filho ligou dizendo que ia jogar futebol. Não deu mais notícias.
E os moradores do kibutz Nir Oz celebraram a libertação do filipino Gelienor Jimmy Pacheco, de 33 anos também. Ele era cuidador e trabalhava havia quatro anos para Amitay Ben Zvi, de 80 anos, assassinado pelos terroristas. A família de Amitay prometeu cuidar para que Jimmy siga mais brevemente possível para as Filipinas.
LEIA TAMBÉM:
AO VIVO: Acompanhe as últimas notícias sobre a guerra entre Hamas e Israel
Catar divulga detalhes do acordo que vai libertar parte dos reféns levados de Israel pelo Hamas
Acordo entre Israel e Hamas é celebrado por líderes de diversos países
Enquanto os reféns eram liberados, caminhões com ajuda seguiam para dentro de Gaza como parte do acordo entre Israel e Hamas. Segundo as Nações Unidas, cerca de 200 caminhões já entraram nesta sexta-feira (23) no território palestino. Eles levavam água, comida, suprimentos médicos e equipamentos.
No inicio da tarde, o presidente americano fez um pronunciamento sobre o primeiro dia de trégua e a libertação dos reféns. Joe Biden lembrou que esse é só o início e não vai parar até que todos os reféns estejam em casa, incluindo três americanas.
Biden disse acreditar que um dos objetivos do Hamas ao cometer as atrocidades do dia 7 de outubro foi porque israelenses estavam trabalhando com a Arábia Saudita e outros países da região para conseguir a paz e o reconhecimento do direito de Israel existir.
Biden disse ainda que o Hamas teme que israelenses e palestinos possam viver em paz lado a lado e reforçou a busca pela solução de dois Estados. No pronunciamento, Biden afirmou ainda que aconselhou Benjamin Netanyahu a buscar reduzir o numero de vítimas enquanto tenta eliminar o Hamas, que é um objetivo legítimo, completou.
Em um comunicado, o presidente francês, Emmanuel Macron, disse que seu governo continua em contato com os mediadores para que todos os reféns sejam libertados.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.