RJ lança 1° Corredor Sustentável do país para abastecer caminhões com gás natural, que reduz em 20% a emissão de gases do efeito estufa

Além de poluir menos o meio ambiente, combustível é muito mais econômico e, segundo os motoristas, pode representar uma economia de até 50%, quando comparado ao diesel. O Governo do Rio de Janeiro lança, nesta sexta-feira (24), o primeiro Corredor Sustentável do Brasil. O é projeto-piloto e faz a adaptação de postos de combustíveis para abastecer caminhões com gás natural e biometano.
Esse tipo de combustível é muito mais econômico e, segundo os motoristas, pode representar uma economia de até 50%, quando comparado ao diesel.
“A economia financeira é muito grande. A gente tem uma frequência de Rio, São Paulo, hoje tem uma variedade de postos, o atendimento é mais rápido. E a vantagem de desenvolvimento do caminhão, a gente não tem muita perda hoje em dia”, explica o motorista André Correia, ressaltando que gastava cerca de R$ 1.500 para fazer o percurso entre Rio e São Paulo e hoje em dia gasta R$ 600 para percorrer o mesmo trajeto de, aproximadamente, 1.000 quilômetros.
A troca do diesel pelo gás natural é boa para o caminhoneiro, para o meio ambiente e para o estado do Rio.
Alguns veículos já saem de fábrica com essa tecnologia e outros podem ser adaptados.
A troca do diesel para o gás natural representa redução de emissão de gases do efeito estufa em torno de 20%, caso seja usado gás natural puro.
Postos adaptados
O primeiro corredor sustentável do país permitirá que caminhões e ônibus trafeguem entre os estados do Rio de Janeiro e São Paulo emitindo menos gases do efeito estufa e gerando menos poluição sonora.
O projeto começa na Rodovia Presidente Dutra e já conta com sete postos de combustíveis adaptados para abastecer veículos pesados com gás natural e biometano.
A meta é ampliar o programa corredores sustentáveis para outras rodovias interestaduais até o segundo semestre de 2024.
Redução do CO2 na atmosfera
Com inclusão de biometano na rede, a diminuição da poluição é ainda maior, já que a emissão de CO2 do biometano é praticamente nula.
Se 1.000 veículos pesados que cruzam a Rodovia Presidente Dutra substituíssem o diesel por gás natural, deixariam de emitir 52 toneladas de CO2 equivalente, o que corresponde a quantidade de CO2 retirada por 200 árvores.
A troca do diesel por gás natural diminui ainda em 85% a emissão de material particulado, também chamado de fuligem, poluente prejudicial à saúde que intensifica o aquecimento global.
Abastecimento em até 15 minutos
Os postos adaptados têm mangueiras especiais e bicos de abastecimento de alta vazão. As adaptações permitem o abastecimento de um caminhão com gás natural em até 15 minutos.
Para completar o mesmo cilindro de caminhão com gás natural em um posto não adaptado o caminhoneiro leva de 40 a 45minutos.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.