Relembre mega-assalto à transportadora Prosegur no Paraguai que inspirou série DNA do Crime da Netflix


Crime que inspirou série ocorreu em 2017. Mais de 40 assaltantes participaram do roubo que totalizou mais de US$ 11,7 milhões – o equivalente a R$ 40 milhões à época – da transportadora de valores. Em 2017 Paraguai viveu um dos maiores assaltos da história do país
Um mega-assalto à transportadora de valores Prosegur, em Cidade do Leste, no Paraguai, em 2017 inspirou a série DNA do Crime que estreou há uma semana na Netflix. Relembre o crime no vídeo acima em reportagem exibida na RPC um ano após o crime.
Está é a primeira série policial brasileira do streaming. O título está entre os mais vistos no Brasil e em outros países.
✅ Siga o canal do g1 PR no WhatsApp
✅ Siga o canal do g1 PR no Telegram
O crime que inspirou a série ocorreu na madrugada de 24 de abril de 2017. Mais de 40 assaltantes participaram do roubo que totalizou mais de US$ 11,7 milhões – o equivalente a R$ 40 milhões à época – da transportadora de valores.
Explosivos foram usados para arrombar o cofre da empresa, que fica a cerca de quatro quilômetros da Ponte Internacional da Amizade, na fronteira com Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná. A ação durou mais de três horas. Veja a localização da empresa em relação à Foz do Iguaçu no mapa a seguir:
Transportadora de valores em Ciudad del Este fica a 4 quilômetros da Ponte da Amizade, na fronteira com Foz do Iguaçu
Editoria de Arte/G1
Troca de tiros entre suspeito e policiais
Na troca de tiros, um policial que fazia segurança particular à transportadora foi morto. Na fuga, vários carros blindados usados pela quadrilha foram abandonados.
Ainda segundo a polícia, parte dos suspeitos cruzou a fronteira pelo Lago de Itaipu e se dividiu por municípios brasileiros de fronteira, como Itaipulândia e São Miguel do Iguaçu, onde houve confrontos.
DNA do Crime foi inspirada em mega-assalto a empresa de valores do Paraguai
Divulgação Netflix
Durante a fuga, os ladrões espalharam “miguelitos” – espécie de tachas de metal usadas para furar pneus de veículos – para impedir que fossem seguidos pela polícia e incendiaram ao menos 13 veículos. Eles também abandonaram cinco caminhonetes blindadas, todas com placas de SP.
Três suspeitos morreram e 15 foram presos também em Cascavel, Foz do Iguaçu e Guaíra.
Na época, foram apreendidos explosivos e armas de vários calibres, como fuzis, e recuperados R$ 4,5 milhões em cédulas de real, guarani e dólar.
Confira horário e como agiram os criminosos no mega-assalto:
Mega-assalto no Paraguai
Editoria de Arte/G1
Mansão foi usada antes de mega-assalto
Parte dos suspeitos envolvidos no mega-assalto usaram uma mansão em Ciudad del Este, mesmo município da ação. A casa funcionava como base estratégica da quadrilha no país vizinho, segundo a PF.
As investigações conjuntas entre a Polícia Nacional paraguaia e a PF, batizada de Operação Resposta Integrada, indicaram que o maior assalto da história do país vizinho foi praticado por membros de uma facção criminosa brasileira.
Os brasileiros, segundo a investigação, tiveram apoio dos paraguaios, com um arsenal que superou a capacidade de resposta da Polícia Nacional.
Uma perícia realizada na casa em Ciudad del Este, usada pelo grupo por cerca de 30 dias até o dia do assalto, e exames de DNA identificaram cerca de 30 perfis genéticos.
De acordo com a investigação, alguns tinham registro no banco de dados genéticos da polícia e participação em outros crimes no Brasil como roubos a bancos e a empresas de valores.
Pesquisas genéticas ajudam a desvendar o maior assalto da história do Paraguai
Reprodução
A atuação da perícia criminal da Polícia Federal venceu o prêmio “DNA Hit Of The Year” 2020, um dos mais importantes concursos internacionais para a área de genética forense, que é o uso da genética em investigações criminais.
Por meio do confronto de dados do Banco Nacional de Perfis Genéticos (BNPG), a perícia federal ajudou a identificar e a condenar alguns dos responsáveis pelo assalto à sede da transportadora de valores no Paraguai.
A premiação atribuiu o caso “emblemático” de uso dos bancos de dados de DNA para a resolução e prevenção de crimes. Esta foi a primeira vez que uma equipe brasileira recebeu o prêmio.
Veja fotos do crime:
Destruição causada por explosões durante roubo a transportadora de valores em Ciudad del Este, no Paraguai
Francisco Espinola/Reuters
Assalto prosegur Paraguai
Reprodução/TV Globo
VÍDEOS: Mais assistidos g1 PR
Leia mais notícias da região em g1 Oeste e Sudoeste.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.