Profissionais de enfermagem da Prefeitura de Varginha ainda não receberam valores atrasados de piso salarial


Quantias reivindicadas são referente aos meses de maio e junho, além de complemento salarial. Em outras cidades do Sul de Minas a situação já foi regularizada. Profissionais de enfermagem da Prefeitura de Varginha ainda não receberam valores atrasados de piso salarial
Profissionais de enfermagem da Prefeitura de Varginha reivindicam o pagamento de valores retroativos do piso salarial. As quantias são referente aos meses de maio e junho, além do complemento salarial.
📲 Participe do canal do g1 Sul de Minas no WhatsApp
O Governo Federal destinou ao todo R$ 7,3 bilhões para estados e municípios para subsidiar o pagamento – que será feito em nove parcelas durante este ano. Em Varginha, o repasse da verba foi feito, porém, parte do valor ainda não foi pago aos funcionários.
Prefeitura de Varginha publica novo decreto com flexibilizações no combate à Covid-19
Franco Jr.
“[Me sinto] desvalorizada, porque a gente se dedica muito”, desabafa Rosa Mônica Piva, técnica de enfermagem.
A sanção do piso salarial foi em agosto de 2022 e determinou que enfermeiros devem receber um piso de R$ 4.750. Já os técnicos, 70% deste valor, ou seja, R$ 3.325. E os auxiliares, R$ 2.375, metade do salário dos enfermeiros.
“A gente está esperando esse dinheiro, foi uma coisa muito sonhada pela enfermagem, e a gente não precisa estar passando por isso, sabe? É um direito agora nosso”, diz Marlon Henrique Modena, técnico de enfermagem.
Em cidades como Poços de Caldas, Pouso Alegre e Passos, a situação já foi regularizada. Já em Varginha, o atraso no pagamento continua e os profissionais reclamam ainda da falta de informações por parte da prefeitura.
O secretário de Saúde de Varginha, Adrian Nogueira, informou que embora os salários estejam sendo regularmente pagos de agosto a outubro, apenas dois meses ainda não foram repassados. Ele atribuiu esses atrasos a divergências de informações entre as entidades locais e o Ministério da Saúde.
“Teve algumas parcelas que estão em atraso, que é do mês de maio e junho, porque houve uma divergência de informações entre as entidades e o Ministério da Saúde, na qual atrasou esse pagamento”, explicou.
Secretário de Saúde também assegurou que a verba já recebida foi repassada, e a única pendência é o pagamento em atraso, que está em processo de correção e deve ser regularizado até o final do mês.
“A verba que chegou já foi repassada. A única que tem que ser repassada é essa que está em atraso, porque houve a divergência de informações. Mas que isso já foi corrigido e, provavelmente, até o final do mês deve ser repassado”, completou o secretário.
Veja mais notícias da região no g1 Sul de Minas
Adicionar aos favoritos o Link permanente.