Presidente do STF lamenta morte de réu do 8 de janeiro no Complexo Penitenciário da Papuda

Na abertura da sessão desta quarta-feira (22) do Supremo, Barroso se solidarizou com a família de Cleriston Pereira da Cunha, que estava preso desde a invasão das sedes dos três poderes. Barroso, presidente STF, lamenta morte na prisão de réu dos ataques golpistas
O presidente do Supremo Tribunal Federal, Luís Roberto Barroso, abriu a sessão desta quarta-feira (22) da corte prestando solidariedade à família de um réu dos ataques de 8 de janeiro que morreu na prisão.
O ministro Barroso lamentou a morte de Cleriston Pereira da Cunha que, segundo a vara de execuções penais, sofreu um mal súbito durante o banho de sol na segunda-feira (20), no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília.
Cleriston estava preso, por determinação do STF, pela participação nos atos golpistas.
“Toda perda de vida humana, ainda mais quando se encontre sob custódia do Estado brasileiro, deve ser lamentada com sentimento sincero. O ministro Alexandre de Moraes já determinou a apuração das circunstâncias em que se deu a morte de um cidadão brasileiro nas dependências da Papuda. Ao que tudo indica, por causas naturais. As estatísticas revelam que morrem quatro pessoas ao dia em presídios brasileiros – em geral de causas naturais, que todavia podem ser agravadas pelas condições carcerárias . Seja como for, manifesto, em nome do tribunal, solidariedade à família do cidadão brasileiro que faleceu no presidio da Papuda no dia 20 de novembro de 2023”.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.