Por que Marina Sena, atração do Primavera Sound, é a maior arroz de festa dos festivais do Brasil?


Cantora mineira fez tributo a Gal Costa no The Town e agora se apresenta no evento no Autódromo de Interlagos em São Paulo com repertório de seus dois álbuns. Desde 2021, quando lançou seu álbum de estreia, o “De Primeira”, Marina Sena já passou pelos principais festivais do país. A cantora fez check-in no Lollapalooza, Rock in Rio, The Town, Coala, Sarará, Mita Festival, Do Sol, João Rock, entre (muitos) outros.
Agora, Marina, que ganhou o apelido de “maior arroz de festa de festival do Brasil”, se prepara para incluir mais um grande evento musical em seu currículo. A cantora é uma das atrações do Primavera Sound no domingo (3).
É fácil explicar por que a cantora mineira de 27 anos se encaixa com tanta facilidade em tantos line-ups:
Ela se tornou conhecida rapidamente, mas ainda é uma novidade;
Explora gêneros como rap, funk mineiro, pop e MPB, sem forçar a barra;
Você pode curtir ou não a voz, mas há curiosidade em ver a perfomance ao vivo.
G1 Ouviu entrevista Marina Sena: ‘Eu enxergo minha voz como um instrumento’
Ela lançou “Vício Inerente”, seu segundo e aguardado álbum da carreira, em maio de 2023. No disco, o vocal característico é incrementado por AutoTune e outros efeitos eletrônicos. Durante participação no podcast g1 Ouviu, ela comentou que vê “sua voz como um instrumento” (veja no vídeo acima).
Ela também contou que o verso “O meu coração não vou deixar virar cimento” (da música “Pra Ficar Comigo”) tem dois lados: é sobre a mudança para São Paulo sem largar o interior mineiro; mas também tem a ver com o processo de não se acostumar com haters e com coisas que a incomodam relacionadas à fama.
“Tem a ver com a cidade de pedra, mas também tem a ver que eu não vou deixar meu coração endurecer. Não quero deixar me anestesiar.”
Com o primeiro álbum, Marina disse que queria se apresentar para os fãs. E agora, qual o objetivo de “Vício Inerente”? “Eu quero fincar minha bandeira no pop, quero fazer mais sucesso, hitar mais.”
‘Empoderamento de personagem’
Marina Sena faz show de lançamento de seu segundo disco, ‘Vício Inerente’, em casa de shows na Zona Oeste de Sâo Paulo
Fábio Tito/g1
Em abril de 2022, Marina esteve no Lollapalooza para assistir aos shows. E, por lá, em conversa com o g1, falou sobre o “empoderamento de personagem” quando está no palco.
“Eu me empodero do personagem Marina Sena. Marina de Oliveira tem diversas questões de autoestima, de blablablá. Mas Marina Sena não tem nada disso. Marina Sena é fatal no palco e pronto”, disse a cantora.
Ela, que tinha acabado de lançar a música “Tudo pra amar você” junto com um clipe bem dançante, falou sobre a fase da carreira que vai além do canto.
“A dança ajuda a divulgar muito a música, ajuda a disseminar. Mas também, nesse novo trabalho… de primeira, era muito mais sobre o que eu queria cantar. Esse disco não é sobre o que eu quero cantar, é também sobre o que eu quero dançar. Então a dança está muito atrelada a esse trabalho como um todo. Não tem como não ter dança. É uma coisa que tem que ter.”
Adicionar aos favoritos o Link permanente.