Pontes de cidades do AC são liberadas após mais de 8h de bloqueio por protesto de servidores de município boliviano


Trabalhadores de vários setores do município de Cobija fecharam a Ponte da Amizade e a ponte Wilson Pinheiro por cerca de 8 horas e meia nesta terça-feira (21). De acordo com a prefeitura de Brasiléia, manifestantes reivindicam salários atrasados. Servidores fecharam pontes em protesto contra salários atrasados
Aline Nascimento/g1
As pontes que ligam duas cidades do Acre à Bolívia foram liberadas depois de 8h30 de bloqueio por um protesto de servidores públicos do município boliviano de Cobija na manhã desta terça-feira (21). A circulação nas pontes Wilson Pinheiro, em Brasiléia e Ponte da Amizade, em Epitaciolândia foi retomada na tarde desta terça.
De acordo com a assessoria de comunicação da prefeitura de Brasiléia, o protesto teve início por volta das 6h, e o trânsito foi liberado às 14h30. Ainda segundo a assessoria, os manifestantes são trabalhadores de vários setores de Cobija, e reivindicam salários atrasados. O g1 tenta contato com a prefeitura de Epitaciolândia e aguarda retorno até esta publicação.
Com o protesto, uma fila de veículos se formou na fronteira entre Epitaciolândia e Cobija, onde automóveis, motocicletas e até caminhões de combustível aguardavam para poder passar.
Porém, segundo a assessoria da prefeitura de Brasiléia, os prejuízos maiores foram sentidos pelos moradores de Cobija, que costumam fazer compras no lado brasileiro. Brasileiros que estudam medicina em Cobija eram autorizados a passar.
A prefeitura de Brasiléia ainda não soube informar o desfecho da negociação entre os servidores e o município de Cobija.
Imagens mostram fila de veículos na fronteira entre Acre e Bolívia por conta de protesto
VÍDEOS: g1
Adicionar aos favoritos o Link permanente.