‘Pediu para eu sentar na frente’, revela jovem trans que gravou momento em que motorista por aplicativo mostra o pênis durante corrida


Durante o trajeto, o motorista iniciou a importunação sexual perguntando à jovem se ela gostava de “chupetinha”. Vítima registrou um boletim de ocorrência na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), que investiga o caso. Jovem trans denuncia motorista por aplicativo mostrar pênis durante corrida
A jovem trans de 18 anos que gravou o momento em que um motorista por aplicativo mostra o pênis durante uma corrida e o denunciou por importunação sexual afirma que foi no banco da frente após um pedido do próprio condutor.
Em entrevista ao g1, Bárbara Munhoz revelou que tem o costume de sentar ao lado do motorista em corridas de aplicativo. No entanto, desta vez, o pedido para ir na frente partiu do próprio motorista.
“Eu tenho a mania de sentar na frente, aí eu vi que era um homem de mais idade, decidi ir pro banco de trás. Só que ele disse ‘não, pode ir na frente’, pediu para eu sentar na frente. No meio do caminho, ele parou o carro, eu percebi que ele estava acariciando perto do órgão genital dele”, revela.
A vítima saía do trabalho no bairro Palmital, na zona norte, e seguia em direção a sua casa, na zona sul. Durante o trajeto, o motorista iniciou a importunação sexual perguntando à jovem se ela gostava de “chupetinha”.
“Ele falou ‘só vou deixar esse cara passar e você vem’, aí eu não entendi, mas antes disso ele perguntou: ‘Você gosta?’, eu perguntei ‘o quê? Não sei nem do que você tá falando’, aí ele ‘de chupetinha?’”, conta Bárbara.
Após recusa da vítima, o suspeito do crime começou a passar a mão na própria perna e no órgão genital e, logo em seguida, tirou o pênis para fora da calça. Neste momento, a jovem começou a gravar o ato de importunação sem que o motorista percebesse.
Jovem de Marília denunciou importunação sexual nas redes sociais
Arquivo Pessoal
Durante a ação criminosa, ele mantém o pênis para fora da calça por boa parte do trajeto e insiste com o pedido de sexo oral à vítima. Em determinado momento, segundo o BO, ele chega a parar o veículo. “Ele falou, vem aqui eu quero sentir o gostinho, aí eu falei, ‘não, eu não vou, para o carro’. Ele parou o carro e não queria abrir a porta”, relembra.
A jovem pede para ir embora e, somente após duas negativas, o motorista para o carro e a deixa descer. Ela ainda consegue gravar a placa do veículo.
“Eu estou horrorizada, em choque, sabe? Eu fiquei bem assustada na hora, entrei em choque, sorte que eu tive coragem de gravar”, diz Bárbara.
A Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Marília (SP) identificou o suspeito do ato e busca pelo motorista de aplicativo. Um Boletim de Ocorrência por importunação sexual foi registrado na tarde desta quinta-feira.
O g1 entrou em contato com a plataforma “99”, mas até a publicação desta reportagem não obteve retorno. Segundo o Código Penal, a pena para o crime de importunação sexual pode chegar a até cinco anos de prisão.
Polícia investiga caso de importunação sexual de motorista de aplicativo em Marília
Arquivo Pessoal
Veja mais notícias da região no g1 Bauru e Marília
Confira mais notícias do centro-oeste paulista:
Adicionar aos favoritos o Link permanente.