Pastor acusado de golpes milionários é condenado a 27 anos de prisão


Também acusados, o pastor Alencar Santos Buriti e o fiel Adilson Ney Lopes foram absolvidos. Pastor Osório José Lopes, suspeito de aplicar golpe em aposentado de Goiânia
Reprodução/YouTube
O pastor Osório José Lopes Júnio, que era acusado de golpes milionários em fiéis, foi condenado a 27 anos de prisão. Durante o processo, ele dizia que os valores repassados a ele se tratavam de “empréstimos” e que precisaria de cerca de cinco meses para fazer os pagamentos.
A decisão de 196 páginas foi emitida pela juíza Placidina Pires na última quinta-feira (7). O g1 tentou contato com a defesa de Osório por telefone àS 7h20 nesta quarta-feira (13), não teve retorno até a última atualização dessa reportagem.
Além de ter sido sentenciado à 27 anos de prisão, Osório deve pagar 117 dias-multa, no valor unitário de 2/30 do salário mínimo. Ele ainda teve os direitos políticos suspensos e também foi condenado a reparar os danos causados a nove vítimas, em valores também estabelecidos e que vão de R$ 8 mil a R$ 1,3 milhão.
Ao todo, o valor das indenizações passa de R$ 2,6 milhões, além de juros e correção monetária desde maio de 2018, quando a denúncia foi apresentada à Justiça de Goiás.
Na mesma decisão, foram absolvidos o pastor Alencar Santos Buriti e o fiel Adilson Ney Lopes da acusação de estelionato. Os dois foram denunciados pelos mesmos crimes que Osório: estelionato, lavagem de dinheiro e assossiação criminosa. A magistrada que justificou que as condutas dos dois, que consistiram em cooptar pessoas interessadas, angariar valores e repassar as quantias a Osório não apresentaram a aptidão necessária para a configuração dos crimes de estelionato relatados.
Pastor Osório José Lopes, de Goiás, suspeito de aplicar golpes
Reprodução/YouTube
Golpes em fiéis
Os crimes pelos quais o pastor Osório José responde judicialmente aconteceram em Goiás até o ano de 2018. No entanto, segundo a polícia, com a mudança dele para São Paulo, o religioso teria aplicado golpes em todos os estados do país. Veja abaixo informações sobre algumas denúncias divulgadas pela polícia:
Empresário de São Paulo denunciou que em 16 de março de 2020 assinou um contrato com Osório e pagou R$ 300 mil a ele;
Uma mulher procurou a polícia de Santana de Parnaíba, São Paulo, e denunciou que em outubro de 2017 pagou uma quantia em dinheiro para um funcionário do pastor;
Em 2014, Paulo Estevão, de Goianésia, denunciou que entregou a única casa, R$ 250 mil, para o grupo do pastor e recebeu um cheque de R$ 2 milhões, que nunca conseguiu descontar por ausência de fundos;
Alex, de Goianésia, conta também que perdeu uma casa e duas caminhonetes; ele ainda teria recebido um cheque no valor de R$ 250 mil, que não foi descontado por falta de fundos;
Uma vítima do Acre relatou que depositou R$ 600 na conta do pastor depois que ele saiu da prisão;
Uma mulher do Mato Grosso relatou que o marido dela depositou R$ 1 mil ao pastor;
Uma advogada de Goiânia denunciou que no início deste ano o pai dela perdeu cerca de R$ 6 mil para o pastor, ela registou o caso na polícia.
Conforme mostrou o Fantástico, o pastor Osório dispara quase que diariamente vídeos para atrair novas vítimas, direto de um condomínio de luxo em São Paulo. O retorno financeiro de quem entrou no suposto investimento estaria próximo e o pastor fala sobre o pagamento aos credores.
“Já tem ordens de um governo mundial sobre esse regimento financeiro determinando datas para finalizar. Isso eu estou dizendo e eu posso cair morto nessa mesa”, prometeu em um dos vídeos. Em outro vídeo divulgado nas redes sociais, o pastor explica de onde teria vindo toda a fortuna dele. O religioso relatou ainda que, em troca, teria recebido papéis que valeriam muito dinheiro. Que seriam a origem dos investimentos que tanto atraíam as vítimas.
“Em 2011, eu orei por um moço, um milionário do Brasil. Sabe o que é dinheiro? Não é um milhão, dois. É bilionário”, disse Osório.
Conforme a apuração da Polícia Civil, em 2018, cerca de 10 moradores prestaram queixa formal em Goianésia, mas a investigação aponta que foram pelo menos 30 vítimas na região. O delegado afirma que uma pessoa sozinha teve prejuízo de R$ 1,5 milhão.
Vítimas
Entre as vítimas do religioso está o eletricista Paulo Estrela que, em 2014, iludido por cifras milionárias, chegou a entregar a única casa que tinha, avaliada em R$ 250 mil. Em troca, ele recebeu um cheque de R$ 2,5 milhões, que nunca conseguiu descontar.
Conforme a apuração da Polícia Civil, em 2018, cerca de 10 moradores prestaram queixa formal em Goianésia, mas a investigação aponta que foram pelo menos 30 vítimas na região. O delegado afirma que uma pessoa sozinha teve prejuízo de R$ 1,5 milhão. Um empresário de São Paulo relatou que o valor total investido por ele na operação prometida pelo Osório ultrapassou R$ 300 mil. Ele contou que começou a cobrar Osório pelo dinheiro prometido.
Depois de muita cobrança, ele disse que conseguiu receber de volta R$ 90 mil e mais um carro importado que, ao voltar para casa, causou um grave acidente. O empresário ficou seis meses sem conseguir andar. O promotor de Justiça de Felipe Oltramari, contou que o acidente aconteceu em “condições misteriosas”. Na época, em nota, a defesa de Osório José Lopes disse que o carro capotou em razão de excesso de velocidade.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.