Operação resgata sete tartarugas e apreende 3,5 mil metros de redes usadas para pesca ilegal


Equipes de fiscalização localizaram ainda ainda anzóis, armas e iscas em rios do estado. Operação começou no dia 14 de novembro e terminou na segunda-feira (20). Tartarugas foram devolvidas à natureza
Divulgação/Naturatins
Fiscais do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) fizeram uma operação para barrar a pesca ilegal em rios do Tocantins durante o período da piracema. Em uma semana, as equipes conseguiram resgatar sete tartarugas e apreender redes e equipamentos de pesca.
Compartilhe no WhatsApp
Compartilhe no Telegram
A Operação Malha Fina começou no dia 14 de novembro e seguiu até segunda-feira (20). Os fiscais percorreram os rios Araguaia, Caiapó, Bananal e Piranhas, que passam por Araguacema, Goianorte e Couto Magalhães e Santa Maria das Barreiras (PA).
De acordo com o Naturatins, foram recolhidos 3,5 mil metros de redes de pesca, 30 anzóis de capturar tartaruga, uma arma de fogo calibre 28, duas munições intactas de calibre 28, uma espingarda de pressão 5,5 com munição de latão e quatro tarrafas. Já as tartarugas foram devolvidas para a natureza.
A piracema está prevista em portaria do Naturatins publicada no Diário Oficial do dia 31 de outubro de 2023. De 1º de novembro a 28 de fevereiro de 2024, período de reprodução das espécies, está proibida a pesca predatória no estado.
LEIA TAMBÉM:
Mais de 650 metros de redes usadas em pesca ilegal são encontrados em povoado de Araguaína
Área de capim dourado destruída por incêndio no Jalapão é equivalente a três mil campos de futebol, diz Naturatins
Orientações
Além da apreensão das redes e equipamentos de pesca, as equipes do Naturatins estiveram em colônias de pescadores para dar informações sobre a proibição da pesca nessa época do ano.
Cerca de 1,1 mil pescadores de Barra do Ouro, Tocantinópolis, Aguiarnópolis, Santa Fé, Xambioá, Araguanã, Palmas, Taquari, Taquaralto, Porto Nacional, Brejinho de Nazaré, Lajeado, Miracema, Pedro Afonso, Palmeirante, Couto Magalhães, Pau D’Arco, Babaçulândia e Filadélfia foram orientados sobre a importância de respeitar a renovação das espécies nos rios e lagos.
Para denunciar situações de pesca predatória, o Naturatins disponibiliza o canal Linha Verde 0800 063 11 55, que funciona de segunda a sexta-feira, durante expediente do serviço público. Também é possível enviar mensagem pelo Verde Zap (63) 99106-7787, e no Portal de Serviços do site do Instituto.
Redes foram apreendidas pelo Naturatins
Divulgação/Naturatins
Veja mais notícias da região no g1 Tocantins.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.