‘Não sobrou nada’: os relatos de quem perdeu quase tudo após eventos climáticos em SC


Por conta das chuvas volumosas, tornados e queda de granizo, diversos moradores perderam móveis, roupas e até mesmo tiveram as casas levadas pela chuva. ‘Não sobrou nada’ os relatos de quem perdeu tudo após eventos climáticos em SC
NSC TV/Reprodução
Santa Catarina tem ao menos 180 cidades em situação de emergência por conta dos estragos causados pelos eventos climáticos de outubro e novembro. Em função das chuvas volumosas, tornados e queda de granizo, diversos moradores perderam móveis, roupas e até mesmo tiveram as casas levadas pela chuva.
Moradora de Rio do Sul, uma das cidades do Vale do Itajaí que decretou estado de calamidade, a chefe de cozinha Ednéia Ferla contabiliza os estragos da casa. A residência ficou coberta por lama após a água da enchente que chegou no teto baixar.
“Tudo que eu tinha, tudo jogado fora, não sobrou nada, nem roupa. É triste, sabe. É triste ver as coisas da gente acabar assim, do dia para a noite”, lamenta.
‘Não sobrou nada’ os relatos de quem perdeu tudo após eventos climáticos em SC VÍDEO
NSC TV/Reprodução
✅ Clique para seguir o canal do g1 SC no WhatsApp
Também moradora de Rio do Sul, Cristiane Gerônimo da Silva precisou sair de casa rapidamente por conta da enchente que atingiu o local onde mora com a família. Na pressa, não conseguiu levar nenhum pertence.
“Essa é a terceira enchente onde eu moro. A gente saiu, mas não conseguimos tirar mais nada. Perdemos tudo, tudo. Nada temos. Graças à Deus temos saúde, que é o que resta. E força para trabalhar e construir tudo de novo”, disse.
Moradora de Rio do Sul que perdeu móveis e objetos após enchente em SC
NSC TV/Reprodução
Dono de uma das casas interditadas em Vidal Ramos, também no Vale do Itajaí, Adilson Da Cruz conta que na madrugada de sábado (18) foi acordado pelo barulho e logo correu para fora com a família. Ele e outras três famílias precisaram deixar uma área que registrou movimentação de terra por causa da chuva.
“Só deu tempo de eu sair com a minha mulher. Peguei a minha menina pelos braços e saí de lá correndo. Rachando tudo. Não sabíamos o que era, achando que era um terremoto”, disse.
Movimentação de terra causa rachaduras na terra e moradores deixam área
Prefeitura de Vidal Ramos/Divulgação
Movimentação de terra causa rachaduras em imóveis e moradores deixam área
Geladeira no telhado e móvel em poste: como ficou cidade após 4 enchentes
Casa atingida por chuva em Rio do Sul, no Vale do Itajaí
Ana Cristina Machado/NSC TV
Situação de banheiro em casa atingida por chuva em Rio do Sul, no Oeste de Santa Catarina
Ana Cristina Machado/NSC TV
No estado, a agricultura também foi muito prejudicada e chegou a R$ 4 bilhões de prejuízo, segundo o governo estadual. Em Itajaí, por exemplo, as plantações de hortaliças, como melancia, alface, couve-chinesa, cebolinha, rúcula e brócolis foram completamente perdidas.
Além disso, as ramas de aipim também foram atingidas:
“Esse último alagamento pior ainda, porque foi muito rápido. Essa rama aqui molha e não tem mais como plantar, já não tem mais força, principalmente nessa época”, explicou o produtor rural Tiago Etges.
Situação da plantação de hortaliças em Itajaí
Luiz Costa/NSC TV
VÍDEOS: mais assistidos do g1 SC nos últimos 7 dias
Adicionar aos favoritos o Link permanente.