Mussum, o podcastis: humorista recebeu críticas sobre racismo, mas exaltou orgulho negro na TV e na música


Ator fez humor controverso em ‘Os Trapalhões’, com piadas que zombam a cor de sua pele e, ao mesmo tempo, dão lição de moral sobre consciência racial. Seja nos filmes, ou nas esquetes de “Os Trapalhões”, Mussum protagonizou várias cenas de humor em que ele era zombado devido à cor retinta de sua pele. Piadas como essas dividiam os espectadores. Algumas pessoas rolavam de rir. Outras acusavam o programa de racismo.
Mussum chegou a dizer que o Brasil não era um país de preconceitos raciais, mas, contraditoriamente, afirmou que a TV brasileira era racista.
Apesar das críticas de que foi alvo em “Os Trapalhões”, o artista tinha orgulho de enaltecer sua negritude e era fã de José do Patrocínio, um dos maiores nomes do abolicionismo do país.
“Mussum, o podcastis” é uma série do g1 e da Globo Filmes que, em cinco episódios, aprofunda detalhes da vida e da carreira de Mussum, retratado na cinebiografia “Mussum, o filmis”.
‘Mussum, o podcastis’ estreia nesta quinta-feira
Mussum, o multiartista
Mussum é um artista que, como raríssimos outros, estabeleceu uma marca inigualável no imaginário e na cultura do Brasil.
Da carreira de músico com os Originais do Samba ao sucesso estrondoso em “Os Trapalhões”, Antônio Carlos Bernardes Gomes foi uma estrela múltipla. Brilhou na TV, cinema, teatro, passarelas de carnaval, estúdios de música e palcos Brasil afora e adentro.
Mas você sabe como tudo começou? Como um jovem negro e pobre da periferia do Rio de Janeiro se tornou Mussum, um ídolo de várias gerações? Quais foram as intrigas e os problemas que ele enfrentou? Que legado ele deixou?
Essas são algumas das perguntas que “Mussum, o podcastis” responde.
Capa do podcast ‘Mussum, o podcastis’
Acervo Globo
Adicionar aos favoritos o Link permanente.