Mundial de Clubes 2023: conheça os times que podem desbancar City e Fluminense

mundial-de-clubes-2023:-conheca-os-times-que-podem-desbancar-city-e-fluminense

O Fluminense vem embalado e confiante para o Mundial de Clubes 2023 após o título inédito da Libertadores deste ano – conquistado logo em cima do Boca Juniors, gigante clube dentro da competição.

A competição reunirá os campeões dos torneios continentais filiados à Fifa em jogos eliminatórios, sendo que o Flu entra em cena diretamente nas semifinais.

Além disso, também jogará um representante do país-sede – A Arábia Saudita, cujo postulante ao título será o Al-Ittihad, campeão da Liga.

Fluminense é o atual campeão da Libertadores e sonha alto no Mundial de Clubes – Foto: Lucas Mercon/Fluminense/ND

O torneio acontece entre os dias 12 e 22 de dezembro, e deve ser o último competido no formato atual.

Neste contexto, os desafios para o Fluminense serão grandes – antes mesmo de uma possível final contra o gigante Manchester City, campeão da UCL.

Os times que disputarão o Mundial de Clubes 2023

Haaland joga no mundial de clubes deste ano

Haaland segue batendo recordes – Foto: Uefa/Divulgação

Abrindo o tapete vermelho da competição está o Manchester City – campeão da Champions League e contando com todo o prestígio de um time recheado de estrelas.

Os ingleses, no entanto, chegam botando medo – apesar de serem estreantes na competição, assim como o Flu.

São atualmente tricampeões da Premier League sob comando de Pep Guardiola, considerado o melhor técnico do mundo.

No ataque, Erling Haaland, uma máquina de gols e artilheiro onde quer que dispute.

Mexicanos também são estreantes no Mundial de Clubes – Foto: Reprodução/@clubleonfc/Twitter

Outro postulante é o León, equipe mexicana vencedora da Liga dos Campeões da Concacaf.

Também estreantes no mundial, os mexicanos estão com rendimento em queda livre desde a classificação. É a equipe em que joga Nico López, ex-Internacional, que pode surpreender em confrontos com brasileiros.

Al-Ahly volta com tudo para mais uma participação no torneio – Foto: @AlAhly/Reprodução/ND

Vencedores da Liga dos Campeões da África, o Al-Ahly também volta ao Mundial de Clubes pela décima vez – sendo um velho conhecido dos brasileiros. Em 2020, venceu o Palmeiras na disputa pelo terceiro lugar.

No ano seguinte, perdeu para o mesmo Palmeiras nas semifinais; em 2022, perdeu para o Flamengo também na disputa da prata.

O time é, com sobras, o clube mais poderoso da África, sendo campeão por dez vezes da Liga dos Campeões do continente – o dobro do rival Zamalek.

Japoneses chegam ao Mundial após vitória sobre o Al-Hilal, time de Neymar – Foto: Reprodução/@REDSOFFICIAL/Twitter

Vindos do Japão, o Urawa Red Diamonds venceu a Liga dos Campeões da Ásia de forma desacreditada e chega ao Mundial de Clubes embalado.

Com uma vitória sobre o badalado Al-Hilal, os japoneses vêm atestando um DNA copeiro – são cinco finais em cinco anos, com três títulos debaixo do braço.

Clube da Nova Zelândia já treina no Catar – Foto: Andrew Cornaga/ACFC

O representante da Oceania será novamente o Auckland City, da Nova Zelândia.

Para a 12ª disputa do torneio, o clube contará com o goleador Ryan de Vries, que vem correspondendo como substituto de Emiliano Tade, lesionado, e também maior artilheiro da história da equipe.

Os neozelandeses foram os primeiros a chegar no Catar e já começaram os treinos para enfrentar o Al-Ittihad, convidado do país-sede, na abertura da competição, no dia 12 de dezembro.

Benzema é a grande estrela do Al-Ittihad neste Mundial de Clubes – Foto: Divulgação

Por fim, o Al-Ittihad – equipe de Benzema e Kanté, treinada por Marcelo Gallardo, volta ao Mundial de Clubes após 18 anos. A equipe soma quatro brasileiros (Fabinho, Igor Coronado, Marcelo Grohe e Romarinho) e serve como um dos grandes cartões de visita do futebol saudita para o mundo.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.