Mulher que denunciou ser perseguida pelo ex-diretor da Polícia Civil do DF diz estar sofrendo ameaças na internet


Ex-amante de Robson Cândido registrou ocorrência como difamação, injúria e ameaça. Capturas de tela com ofensas em redes sociais foram entregues aos investigadores. O ex-diretor da Polícia Civil do DF, Robson Cândido, em imagem de arquivo
Reprodução
A mulher que denunciou o ex-diretor geral da Polícia Civil do Distrito Federal, Robson Cândido, por perseguição, voltou a procurar a delegacia. Ela diz estar sofrendo ameaças na internet.
✅ Clique aqui para seguir o novo canal do g1 DF no WhatsApp
Capturas de tela de comentários em uma rede social foram entregues aos investigadores. Em uma das imagens, uma mulher escreveu no perfil da vítima que “na hora de ela tomar posse do cargo comissionado não tinha choro” e a xingou.
Em outro comentário, um homem escreveu que a vítima está “colhendo somente a própria destruição” (veja fotos abaixo).
A TV Globo teve acesso ao boletim de ocorrência, que foi registrado pela vítima na delegacia de Taguatinga Sul como difamação, injúria e ameaça. A mulher, de 25 anos, é ex-amante de Cândido (veja detalhes mais abaixo), que está preso desde o dia 4 de novembro.
Segundo a Polícia Civil, é possível rastrear comentários ofensivos na internet pelo endereço de IP do computador ou numa busca reversa: rastreando a forma de cadastro nas plataformas, como o e-mail e o nome da conta. Os investigadores conseguem essas informações com a base de dados da polícia e a partir de ordens judiciais.
Imagem mostra comentários direcionados à vítima, que diz estar sofrendo ameaças
Reprodução
Em depoimento na delegacia, a vítima afirmou que “não admite nenhum tipo de ofensa originada de um caso onde foi vítima de diversos crimes”.
Disse ainda que o cargo comissionado que ocupou no Metrô-DF foi oferecido a ela por Cândido, “sendo que, em nenhum momento, [ela] pediu ou tentou se beneficiar” do relacionamento que mantinha com o ex-diretor.
Perseguição
Ex-diretor-geral da Polícia Civil do DF é preso
A vítima apresentou à Justiça gravações, mensagens e imagens da perseguição que diz ter sofrido por Robson Cândido. O ex-diretor da PCDF é acusado de cometer ao menos sete crimes contra a ex-amante.
Na denúncia, consta que Cândido teria usado celulares e viaturas da polícia para perseguir a vítima, além de quebrar sigilos ilegalmente.
No material entregue pela mulher, que está em poder do Tribunal de Justiça do DF, a vítima narra como se dava a perseguição. Além disso, ela anexou mensagens de texto enviadas por ela ao governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB) – “chefe” de Robson Cândido.
Na conversa, a ex-amante do diretor-geral da PCDF envia vídeos e um texto extenso no qual relata estar sendo perseguida pelo homem. A mulher diz que Cândido usava carros oficiais da polícia, fazia coações, a segurava pelo braço e dizia que sua integridade física estava em risco.
O então chefe da Polícia Civil dizia ainda, segundo ela, que a única pessoa que ele respeitava era o governador do DF.
LEIA TAMBÉM:
Vítima de ex-diretor da Polícia Civil do DF acionou governador e diz que foi cercada por acusado ao prestar queixa em delegacia
Leia mais notícias sobre a região no g1 DF.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.