Comunidade no Jalapão está isolada há um mês após ponte ser destruída pela fogo: ‘Se adoecer um aqui vai morrer’


Alunos estão sem ir para a escola e e todos não conseguem acesso à saúde ou mesmo sair para comprar mantimentos. Empresários do ramo do turismo também relatam prejuízos. Ponte com estrutura danificada deixa comunidade isolada no município de Mateiros
Já se passou um mês desde que a ponte que dá acesso à comunidade Galhão, em Mateiros, na região do Jalapão, foi incendiada. Nesse período, os moradores da zona rural reclamam da dificuldade que os alunos enfrentam para frequentar a escola, de ter acesso a saúde e comprar mantimentos.
O problema começou no dia 22 de outubro, na estrutura acima do rio ‘Come Assado’, na TO-247. Pessoas que passavam pelo local registraram o momento que a ponte era consumida pelo fogo, ainda na madrugada.
A ponte não chegou a desabar, entretanto, não é seguro passar por cima dela e por isso a comunidade ficou isolada. Só restaram as armações de ferro.
“Não está passando carro na ponte. Se adoecer um aqui vai morrer porque não tem acesso à saúde, não tem acesso ao mercado. Nós estamos precisando muito, senão nós vamos passar fome. Não tem acesso ao posto de gasolina”, disse a lavradora Jardilene Alves Batista.
Ponte de madeira em estrada do Jalapão fica destruída em incêndio
Segundo moradores da região, a ponte já apresentava problemas há um ano, mas depois do incêndio está totalmente sem condições de uso. Por isso, alunos da região estão há mais de 30 dias sem frequentar as aulas.
LEIA TAMBÉM:
VÍDEO: Fogo destrói ponte de madeira em estrada que dá acesso a cidade no Jalapão
A estudante Jamile Batista dos Santos, que está no 2º ano do ensino médio, teme a reprovação e pede que a situação seja resolvida. “Não está fácil para nós ficar sem estudar. Vai fechar 30 dias já e provas chegando, nós não temos conteúdo de nada. A necessidade de ir para a escola está grande porque o ano está acabando”, lamentou.
Situação da ponte em Mateiros
TV Anhanguera/Reprodução
A alternativa dos moradores da comunidade Galhão é passar por uma estrada de ‘areião’. Mas isso aumenta o trajeto em cerca de 200 quilômetros.
Além das dificuldades da comunidade, o local também é uma rota turística. Por isso, empresários do setor também estão tendo prejuízos financeiros, segundo Marcelo Lima, presidente da Associação dos Empresários de Mateiros.
“A gente não está falando de uma ponte que às vezes você roda 15,20 quilômetros e consegue outro caminho. Lá, para ir para Mateiros se não for por essa estrada, você vai ter que andar no mínimo 200 km em estrada ruim para poder chegar. Assim, são condições sub-humanas. Sem falar também que nós, empresários, já temos um prejuízo de mais de R$ 1 milhão. Até resolver esse problema, é incalculável o tamanho do prejuízo porque além de tudo estão faltando combustível, alimentos. Nós vivemos um caos”, explicou.
Marcelo também comentou que as dificuldades atuais são as mesmas que a região enfrentava antes de ter mais visibilidade. “Parece que estamos vivendo, sei lá, há 30 anos atrás. O Jalapão já é difícil, a região já é difícil. Sem esse acesso se torna quase impossível viver lá”, lamentou.
O que diz o estado
A Agência de Transportes, Obras e Infraestrutura (Ageto) informou que foi aberto um processo emergencial, uma equipe está indo até a região para iniciar o projeto de reparos na ponte em questão.
Moradores ficaram isolados na comunidade Galhão
Divulgação
Veja mais notícias da região no g1 Tocantins.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.