Prefeitura de São Cristóvão contempla mais de 250 projetos culturais através de Editais


Valor destinado aos produtores culturais do município de São Cristóvão através dos editais da Lei Paulo Gustavo e Lei Aldir Blanc ultrapassa R$ 1 milhão Editais proporcionaram que centenas de artistas pudessem realizar seus trabalhos nos últimos anos.
Heitor Xavier
A Prefeitura de São Cristóvão tem desempenhado um papel fundamental na promoção da cultura e arte na cidade. Com a visão de fortalecer a cena cultural local, foram lançados dois editais que buscam direcionar os recursos provenientes da Lei Paulo Gustavo. Um dos editais, voltado para o audiovisual, registrou 73 inscrições, com cerca de 35 projetos habilitados. Já o edital voltado para as demais linguagens artísticas contou com 160 inscrições e a habilitação de 80 projetos.
A Lei Paulo Gustavo foi criada para apoiar a cultura e ajudar os artistas a superar os efeitos da pandemia de Covid-19. O projeto destinou um montante significativo de R$3,8 bilhões para o fomento das manifestações culturais em todo o Brasil. O recurso é do próprio setor cultural, reinvestindo valores do Fundo Nacional de Cultura e do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA). Em São Cristóvão, o montante destinado para a aplicação da lei foi de R$789.604,11.
O apoio financeiro foi dividido da seguinte forma: Para apoio a Produções Audiovisuais, um total de R$418.332,26. Recurso a salas de cinema: R$95.621,06. Para capacitação, formação e qualificação no audiovisual; apoio a cineclubes e a festivais e mostras: R$48.007,93. Já o apoio destinado às demais áreas da cultura que não o audiovisual: totalizam R$227.642,86.
O processo de avaliação dos projetos inscritos na Lei Paulo Gustavo está em andamento.
Entre 17 de agosto e 01 de outubro de 2023, a Fumctur recebeu as propostas culturais dos dois editais. A relação final das propostas habilitadas estará disponível em 23 de outubro de 2023, tanto no site oficial da Prefeitura de São Cristóvão, quanto no Diário Oficial e no Mapa Cultural de Sergipe.
A equipe responsável pela avaliação conta com pareceristas de diferentes regiões do Brasil, com experiência tanto como pareceristas quanto como artistas, o que reforça a seriedade desse processo de seleção.
Vale destacar que São Cristóvão foi o primeiro município sergipano a ter o Plano de Ação para a execução da lei aprovado pelo Ministério da Cultura, no dia 25 de maio. O planejamento foi elaborado após um amplo processo de participação popular, através de audiências presenciais no Centro Histórico e no Rosa Elze e de um formulário virtual disponível durante todo o mês de abril, para que artistas e produtores de cultura pudessem apresentar demandas e sugestões para orientar a distribuição dos recursos.
Para auxiliar os profissionais de cultura do município com procedimentos burocráticos referentes ao processo de inscrição nos editais, um mutirão foi realizado para tirar as dúvidas. Durante dois meses, os artistas do município contaram com o atendimento de profissionais da Fumctur, todas as sextas-feiras, mediante agendamento prévio.
A Prefeitura deu suporte aos produtores culturais que desejavam participar dos editais.
Dani Santos
Além do suporte presencial, a equipe da Fumctur elaborou uma cartilha informativa que contém todas as orientações e documentos necessários para a inscrição, incluindo um passo a passo detalhado sobre como proceder e dicas sobre como elaborar um projeto de qualidade para aumentar as chances de seleção.
Lei Aldir Blanc
A iniciativa teve como objetivo ajudar profissionais e organizações culturais que perderam renda em razão da crise provocada pela pandemia do coronavírus. Em 2021, foram repassados recursos a estados e municípios, que foram aplicados em três frentes: renda emergencial para profissionais de arte e cultura; subsídio para gestão de espaços culturais e realização de editais, chamadas públicas, prêmios, aquisição de bens e serviços vinculados ao setor cultural.
Para os produtores de cultura selecionados, foi disponibilizada uma renda mensal no valor de R$600, pagos em três parcelas. Para os espaços culturais cadastrados, o subsídio foi de R$3 mil a R$10 mil com contrapartida social obrigatória, cumprida pelo espaço, território ou movimento cultural. Em São Cristóvão, 152 projetos foram contemplados e R$ 370 mil repassados, sendo R$ 320 mil reais para os artistas selecionados e R$ 50 mil para os espaços culturais.
Entre os trabalhadores da cultura contemplados, o artista plástico sancristovense Nivaldo Oliveira, teve a oportunidade de desenvolver um painel em xilogravura, instalado próximo a entrada do Centro Histórico do município. Ele destaca a importância do auxílio recebido e da valorização da sua arte.
Nivaldo Oliveira, artista plástico, foi um dos contemplados pela Lei Aldir Blanc.
Heitor Xavier
“Essa ideia de um painel é um sonho, uma vontade de criar um objeto com uma certa estrutura, com um certo volume dentro da cidade, se vocês perceberem a cidade é histórica, mas ela precisa de elementos assim para se compor, para se decorar, não só o barroco, não só as igrejas, mas outros elementos. Eu espero que a partir desse venha outras coisas dentro da própria cidade”, disse o artista sem esconder a empolgação.
Painel em xilogravura desenvolvido por Nivaldo Oliveira.
Heitor Xavier
Outro contemplado pela Lei Aldir Blanc no município foi o artista Vinícius Tavares. Com o apoio da Lei, ele realizou a exposição “A Sombra da Melancolia”, no Museu Histórico de Sergipe, em 2022. Composta por dez quadros de diferentes tamanhos de telas e técnicas através do ‘espatulado’, as obras apresentam temáticas da sociedade por meio de personagens anônimos, indo desde assuntos como desigualdades sociais até as profundas emoções humanas.
Exposição “A Sombra da Melancolia” foi exposta no Museu Histórico de Sergipe, em 2022
Yago de Andrade
Na oportunidade, o artista ressaltou a importância da Lei Aldir Blanc e dos envolvidos para que a exposição acontecesse. “A Lei possibilitou novos artistas a expor em lugares que não tínhamos espaço, então isso proporciona uma valorização e incentivo da cultura, assim como o auxílio da gestão do museu e da Prefeitura de São Cristóvão que ajudaram bastante nesse processo”, complementou.
Vinícius Tavares, artista contemplado pela Lei Aldir Blanc.
Yago de Andrade
Um olhar para o futuro
A cidade de São Cristóvão teve mais um plano de ação aprovado pelo Ministério da Cultura (MinC), realizando, mais um vez, o feito de ser a primeira cidade de Sergipe a ter essa aprovação. Desta vez, trata-se da Política Nacional Aldir Blanc de Fomento à Cultura (PNAB), mais conhecida como Lei Aldir Blanc II, que destinará um montante à cidade no valor de R$ 686 mil que serão investidos no município no que diz respeito ao fomento cultural, à manutenção de espaços culturais, e pensando em uma continuidade dessas ações. Esse repasse seguirá por mais cinco anos.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.