Começa hoje Transforma, a festa do cinema LGBTQIAPN+

comeca-hoje-transforma,-a-festa-do-cinema-lgbtqiapn+

Com mais de 100 produções na programação, o Transforma – Festival de Cinema da Diversidade de Santa Catarina começa nesta quarta-feira (22), no Centro Integrado de Cultura (CIC), em Florianópolis.

Destaque para a Mostra Competitiva que conta com 11 produções catarinenses que concorrem ao almejado troféu “Unicórnio de Ouro”!

Transforma em 2022 reuniu diretores e realizadores de todo o país – Foto: Jéssica Michells/Divulgação

Até o dia 28, além de filmes nacionais e internacionais, acontecerão encontros, debates, performances e shows para tingir com as cores e a força do arco-íris os olhos e os corações do público.

A programação desta quarta-feira (22) terá a Cerimônia de Abertura, às 20h, com a presença de ícones da cultura queer estadual, exibição de filmes e fecha com o showzão da banda trans Apocalypse Cùir.

Entre os destaques da programação está a Mostra Competitiva, com a participação recorde de 64 curtas-metragens brasileiros. Essas produções concorrem ao troféu “Unicórnio de Ouro”.

São pelo menos 11 filmes LGBTQIAPN+ produzidos em Santa Catarina na disputa, entre ficção, não-ficção, documentários e animações.

Vai ser uma festa. O festival que está na quinta edição já é um evento de notabilidade internacional e um dos mais importantes do sul do Brasil. Vale prestigiar.


Vinheta do Transforma – Festival de Cinema da Diversidade de Santa Catarina – Vídeo: Transforma

O V Transforma é financiado pelo Prêmio Catarinense de Cinema 2022, do Governo do Estado/Fundação Catarinense de Cultura, e conta com apoio do Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina (MIS/SC).

A produção é da BAPHO Cultural em parceria com a Associação em Defesa dos Direitos Humanos com Enfoque na Sexualidade (ADEH).

Pega então a programação completa aqui e seja feliz!

Veja abaixo as produções catarinenses que disputam o “Unicórnio de Ouro” do V Transforma

A Cabeça e o Corpo (dir. Mirian Miranda e Val Dobler)

Bloco dos Corações Valentes (dir. Loli Menezes)

Disk-Man (dir. Andy Rodriguez)

No reflexo do meu nome – SC (dir. Vini Poffo e Sillas H)

Nós habíamos amado tanto y detestado sin pudor – SC (dir. Solana Llanes)

O Prazer é Todo Meu – SC (dir. Vanessa Sandre)

Quando eu cheguei (dir. Romy Huber)

Travessia (dir. Ariely Cauany Suptitz)

Transverbo (dir. Oliê Cárdenas)

Vertigem (dir. Djulia Marc)

(sub)urbana (dir. Vini Poffo)

Adicionar aos favoritos o Link permanente.