Turma de jovens e adultos celebra formatura no Museu do Amanhã após anos sem poder estudar


Concluíram os estudos 130 alunos da Fundação Roberto Marinho, em parceria com ONGs. Turma de jovens e adultos celebra formatura no Museu do Amanhã após anos sem poder estudar
Alunos que ficaram anos sem poder estudar celebraram, nesta terça-feira (21), a sonhada formatura. No Museu do Amanhã, 130 sonhos e histórias de vida se reuniram para festejar a conclusão do ensino fundamental ou médio pela Escola Fundação Roberto Marinho, em parceria com ONGs.
Em algum momento eles tiveram que abandonar a sala de aula, mas voltaram. A maioria, moradores de comunidades.
Ubiratan Martins dos Santos, 70 anos, esperou 40 anos até se reencontrar com a escola. “Estou feliz da vida por causa disso porque realmente eu dei uma volta por cima!”
Tauã de Oliveira Silva, 23 anos, teve de priorizar o trabalho. “Moro sozinho, então tive que escolher entre o meu sustento e a escola”, lembrou.
Seu Bira e Tauã se juntaram a outros formandos de São Gonçalo, da Maré, do Centro do Rio e de Del Castilho na diplomação.
A professora Andrea Silva Ignácio não escondia o orgulho. “Fico muito feliz porque parece que é filho. A gente sente um pouco parte disso tudo. Acho que, de onde eles vieram, a maioria proveniente de favelas, precisam de resiliência para viver.”
Desde 2011, a Escola Fundação Roberto Marinho já formou 1.800 alunos no ensino fundamental e no ensino médio, em parceria com as ONGs Redes da Maré, Instituto Abraço do Tigre e Rede Cruzada.
João Alegria, secretário-geral da fundação, considera uma grande vitória “engajar novamente o jovem que estava excluído do seu direito à educação”.
“Você se dedicar a essa causa é se engajar efetivamente num projeto de nação.”
Alguns dos formandos no Museu do Amanhã
Reprodução/TV Globo
Adicionar aos favoritos o Link permanente.