Ministra Sônia Guajajara solicita Força Nacional após agressão a jornalista e cineasta em MS


Jornalista canadense e sua mulher, uma cineasta brasileira, e um engenheiro florestal foram agredidos por 30 homens em Iguatemi, no Sul de MS, na quarta-feira (22). A PF está atuando com a Polícia Militar regional para investigar o caso. Ministra dos Povos Indígenas, Sônia Guajajara solicita Força Nacional após agressão a jornalista e cineasta em MS.
Reprodução/Jornal Hoje
A ministra dos Povos Indígenas, Sônia Guajajara, acionou a Força Nacional nesta sexta-feira (24) para dar apoio à Polícia Federal na investigação de uma denúncia de agressão contra um jornalista canadense, a mulher dele, uma cineasta brasileira, e um engenheiro florestal também brasileiro.
A ministra Sônia Guajajara condenou a agressão.
“Nós pedimos a Força Nacional logo que fomos notificados sobre a situação e a Força Nacional já esteve na região no mesmo dia. O Ministério dos Povos Indígenas continua acompanhando por meio do departamento de mediação e conciliação de conflitos para que a gente possa garantir agora essa segurança para os jornalistas que estavam ali retornar para o seu Estado”, diz Guajajara.
O casal e o engenheiro florestal foram atacados na quarta-feira (22) por cerca de 30 homens na cidade de Iguatemi, no sul de Mato Grosso do Sul. Eles estão há três anos na região produzindo um documentário sobre os problemas enfrentados por indígenas da etnia Guarani Kaiowá num conflito com produtores rurais.
A Força Nacional e a Polícia Federal vão investigar esse ataque com o apoio da Polícia Civil de Mato Grosso do Sul.
A Polícia Civil informou que na quinta-feira (23) sete indígenas registraram boletim de ocorrência por agressão nessa mesma região. No ano passado, três indígenas morreram em conflitos agrários em Amambaí, mesma região onde o jornalista, a cineasta e o engenheiro florestal foram atacados, no Sul de Mato Grosso do Sul.
Entenda o caso
O casal formado pelo jornalista canadense e pela cineasta brasileira e o engenheiro florestal estão documentando conflitos entre indígenas e produtores rurais no sul de MS, e na quarta-feira (22) ficaram sabendo de um conflito em uma comunidade indígena em Iguatemi. Mas antes de chegar, foram surpreendidos pelos agressores.
Após a agressão, os três registraram boletim de ocorrência na Polícia Militar em Amambaí, a cerca de 120 km de Iguatemi.
Casal denunciou agressões em Iguatemi (MS).
Reprodução
Segundo o jornalista canadense Renaud Philipp, os agressores usavam máscaras e diziam que era muito perigoso estar ali. E de repente começaram a bater e a roubar os equipamentos deles.
“Me jogaram no chão, jogaram ele [Renaud] pro outro lado, começaram a chutar ele com extrema violência e ao mesmo tempo que eles nos violentavam outros roubavam todas as nossas coisas do carro. Pegaram as câmeras nosso material de trabalho, pegaram nossos documentos, nossos telefones, tudo até papel higiênico que tinha no carro eles pegaram”, conta a antropóloga e jornalista Carol Mira.
Assista à reportagem completa abaixo:
Grupo agride jornalista canadense e esposa brasileira no Mato Grosso do Sul
Adicionar aos favoritos o Link permanente.