‘Kizomba’: programa da Rede Amazônica AP resgata ancestralidade e cultura negra 


Exibição será após o programa Altas Horas, deste sábado (25).  Sheizy Brazão e Iury Soledade serão os apresentadores
Reprodução
No mês da Consciência Negra, a Rede Amazônica Amapá exibe o programa Kizomba que busca mostrar a ancestralidade e cultura negra através do tradicional Encontro dos Tambores. A exibição ocorre após o programa Altas Horas, deste sábado (25). 
Veja também:
‘Dia da Consciência Negra’: data é marcada por tradicional Missa dos Quilombos no Amapá
‘É o ato mais revolucionário que existe em Macapá’, destaca padre sobre Missa dos Quilombos; FOTOS
O Kizomba promete mostrar a regionalidade do povo Tucuju em rede nacional. Sheizy Brazão e Iury Soledade, serão os responsáveis por conduzir a apresentação. 
Sheizy, que se declara entusiasta da cultura marabaixeira, destaca que o momento é uma oportunidade única. 
“Ter a oportunidade de falar da minha cultura para o Brasil é algo sem igual. É um programa produzido por nós sobre nós, sabe?! Outras pessoas vão saber sobre o batuque e marabaixo”, afirmou Sheizy.
✅ Clique aqui para seguir o novo canal do g1 AP no WhatsApp
O programa inédito deve abordar histórias dos quilombos tradicionais do Amapá, através do 28º Encontro dos Tambores. Além de reforçar debates sobre questões raciais. 
Iury Soledade cresceu dentro do movimento negro no Amapá. Segundo ele, está sendo uma oportunidade de revisitar o passado.
“A gente já visitou várias comunidades, está sendo revigorante. São histórias do nosso povo, aliás, daqueles que construíram o nosso Amapá. É o jeito de ser, do povo daqui”, disse Iury aos risos.
Programa da Rede Amazônica vai falar sobre o tradicional Encontro dos Tambores
Kizomba 
Kizomba é uma palavra do kimbundu, uma das línguas de Angola, e significa encontro, confraternização. Kizomba também significa festa do povo, tendo o nome origem nas danças dos negros que resistiram à escravidão.
A produção é fruto da parceria entre a Rede Amazônica e a produtora Acesso Comunicação. Alan Farias, responsável pela empresa, disse em entrevista que as gravações estão sendo feitas em diferentes partes de Macapá. 
“Temos uma equipe de 25 pessoas trabalhando de dia, noite e até madrugada em pontos que trazem essa representatividade. Queremos mostrar o que é o Amapá para todo Brasil.” 
Veja o plantão de últimas notícias do G1 Amapá
VEJA aos vídeos mais recentes do G1 AP:
Adicionar aos favoritos o Link permanente.