Israel aciona sirenes de ameaça de ataque minutos após início de prazo para trégua na Faixa de Gaza


Explosões foram reportadas em Gaza momentos antes da trégua entrar em vigor. Reféns capturados pelo Hamas devem começar a ser libertados nesta sexta-feira (24). Veja como será trajeto de reféns que serão liberados pelo Hamas até chegar em Israel
Israel acionou sirenes para alertar sobre possíveis ataques de foguetes poucos minutos após o início do prazo para a trégua programada na Faixa de Gaza, nesta sexta-feira (24). O cessar-fogo temporário estava programado para começar às 7h, pelo horário local — 2h, no horário de Brasília.
Conforme acordo fechado entre Israel e Hamas, a trégua possibilitará a saída de reféns capturados por terroristas e entrada de ajuda humanitária em Gaza. A pausa no conflito deve durar quatro dias.
Entretanto, poucos minutos após o início do prazo, Israel acionou sirenes de avisos para possíveis ataques contra duas comunidades que ficam próximas à Faixa de Gaza.
Além disso, imagens transmitidas ao vivo pela agência Reuters mostravam fumaça na região da fronteira entre Israel e a Faixa de Gaza. Explosões foram reportadas em Gaza pouco antes do início da trégua.
Ainda segundo a Reuters, nenhuma explosão foi relatada após o início do período de trégua.
Entenda como será a trégua entre Israel e o Hamas e a libertação de reféns
Fumaça é vista na Faixa de Gaza momentos antes do início da trégua programada, em 24 de novembro de 2023
REUTERS/Alexander Ermochenko
Trégua programada
Pelo acordo, os primeiros reféns capturados pelo Hamas devem ser liberados ainda durante a tarde desta sexta-feira.
A expectativa é que mais de 50 reféns sejam liberados nos próximos dias. Israel prometeu prolongar a trégua em um dia para cada 10 reféns adicionais que forem libertados pelo grupo terrorista.
O acordo também envolve a liberação de 150 palestinos mantidos como prisioneiros por Israel. Além disso, durante a pausa no conflito, Gaza deve receber caminhões com água, comida, auxílio médico e combustível.
Minutos antes do início do prazo para trégua no conflito, as Forças de Defesa de Israel divulgaram um vídeo do porta-voz Avichay Adraee afirmando que a guerra ainda não tinha acabado.
“A pausa humanitária é temporária. O norte da Faixa de Gaza é uma zona de guerra perigosa”, afirmou.
Adraee também orientou aos civis de Gaza para que todos permaneçam na região sul do território palestino. O militar afirmou que viagens para a região norte estão proibidas.
VÍDEOS: mais assistidos do g1
Adicionar aos favoritos o Link permanente.