Homens acusados de degolar e atirar em vítima por ciúmes são condenados a mais de 27 anos de prisão


Os dois homens teriam obrigado Edivan Ribeiro a ficar de joelhos com um lençol cobrindo o rosto, momento em que atiraram na cabeça dele e o degolaram com um golpe de facão, segundo o Ministério Público do Tocantins. Julgamento aconteceu no Fórum de Dianópolis
Rondinelli Ribeiro/TJTO
Dois anos foram condenados nesta sexta-feira (24) por assassinato e tentativa de homicídio em Almas. Segundo o Ministério Público do Tocantins (MPTO), Jeovane Ferreira dos Santos deve cumprir 27 anos e seis meses de prisão e Orlando Júnior Alves Bonfim, 27 anos. Os dois foram acusados por assassinar Edivan Ribeiro dos Santos e tentar matar Douglas Ferreira dos Santos.
O caso aconteceu em uma chácara, em agosto de 2020. Segundo o Ministério, a motivação do crime teria sido por causa de ciúmes, já que Douglas estaria se envolvendo com a esposa de Jeovane.
LEIA TAMBÉM
Vítimas depositam mais de R$ 1 milhão para comprar fazenda e descobrem que caíram em golpe, diz polícia
Condenado por estupro é preso após ir em delegacia testemunhar contra padrasto por violência doméstica
Criminosos criaram perfil para intimidar delegado durante onda de assassinatos em Palmas, diz polícia
As vítimas estavam no local acompanhados de familiares e amigos quando foram surpreendidos por tiros, disparados pelos dois homens. De acordo a denúncia, Edivan chegou a ser rendido e obrigado a ficar de joelhos com um lençol cobrindo o rosto. Em seguida, os réus atiraram na cabeça dele e o degolaram com um golpe de facão. Douglas foi ferido e conseguiu se esconder em uma mata.
A acusação foi representada pelo promotor de justiça Rogério Mota, que sustentou no caso da vítima, as teses de motivo torpe, meio cruel e uso de recurso que dificultou a defesa da vítima, além da tentativa de homicídio contra Douglas.
Inicialmente, os dois homens irão cumprir a sentença em regime fechado.
Veja mais noticias da região no g1 Tocantins.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.