Gaeco cumpre mandados contra policiais suspeitos de criar perfil falso em rede social, marcar encontro supostamente amoroso e matar jovem


No B.O. policiais da Rotam afirmaram que jovem estava em alta velocidade e efetuou disparos contra a equipe, que revidou. Gaeco apurou que veículo não estava em alta velocidade e que jovem foi atraído para local onde foi morto. Viatura Rotam do Paraná
Rotam/PR
O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público (MP-PR) cumpriu nesta quarta-feira (22) mandados contra policiais suspeitos de criar perfil falso em rede social, marcar encontro supostamente amoroso e matar um jovem em Pato Branco, no sudoeste do Paraná.
O caso ocorreu em 19 de maio deste ano próximo ao aeroporto regional da cidade. Conforme o Boletim de Ocorrência (B.O.) uma equipe de Rondas Ostensivas Táticas Metropolitana (Rotam) realizava patrulhamento na região quando avistou um carro em alta velocidade.
✅ Siga o canal do g1 PR no WhatsApp
✅ Siga o canal do g1 PR no Telegram
A equipe teria tentando fazer a abordagem, porém, em local com pouca iluminação pública, o veículo parou, momento em que o jovem saiu do carro e teria feito diversos disparos contra os policiais, que revidaram e atingiram o suposto atirador. A vítima morreu à caminho do hospital.
Conforme investigação do Gaeco, no entanto, as informações do B.O. são falsas. Isso porque de acordo com a apuração feita através de perícia no celular do jovem, os policiais criaram um perfil falso nas redes sociais se passando por uma mulher e iniciaram conversas com a vítima.
Depois de um tempo, marcaram um encontro com ele. Na data marcada, 19 de maio deste ano, o grupo de policiais se dirigiu a uma rua próxima ao local marcado para o encontro entre a vítima com a suposta mulher. Ali realizaram a abordagem que terminou com a morte do jovem.
“Apurou-se que os policiais criaram um perfil falso na rede social, marcaram um encontro amoroso, se passando nesse perfil como sendo uma mulher, marcaram esse encontro num local adiante de onde aconteceu esse confronto e chegaram a este local cerca de 10 minutos antes”.
“Quando então a vítima passou pelos policiais, eles realizaram a abordagem, ocorreram os fatos e a vítima foi neutralizada”, afirmou o promotor do Gaeco, de Francisco Beltrão, Tiago Vacari.
Segundo o promotor, as investigações demonstraram após a realização de diversos pedidos judiciais, quebra de sigilos telefônicos e análise do celular da vítima, que não houve confronto, nem tão pouco o registro de alta velocidade do carro, como consta no B.O. elaborado pelos policiais envolvidos no caso.
Leia também:
Crime: Relembre mega-assalto à transportadora Prosegur no Paraguai que inspirou série DNA do Crime da Netflix
Investigação: PF faz operação contra servidor do INSS suspeito de fraude em concessão de benefícios, em Dois Vizinhos
Vídeo: PM e pai de jovem denunciado por racismo dá voz de prisão para mãe de aluna que fez acusação, diz colégio
Mandados cumpridos
Foram cumpridos nesta quarta (22) cinco mandados de busca e apreensão em Pato Branco. O cumprimento deles contou com o apoio da Corregedoria Geral da Polícia Militar (PM).
Um dos mandados foi cumprido na sede da Rotam do Terceiro Batalhão de Polícia Militar e os outros em locais ligados aos quatro policiais militares que envolvidos na ocorrência.
Foram apreendidos equipamentos eletrônicos e documentos que devem auxiliar no prosseguimento das investigações para apurar as circunstâncias em que ocorreram os fatos.
VÍDEOS: Mais assistidos g1 PR
Leia mais notícias da região em g1 Oeste e Sudoeste.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.