Filho de PM assassinado pediu ajuda após levar facadas, diz mãe


Polícia trabalha com suspeita de latrocínio. Henrique, que era psicólogo, foi encontrado ainda vivo. Mãe de psicólogo assassinado diz que filho a chamou para socorre-lo
A mãe do psicólogo Henrique Rozendo, que foi assassinado, disse que o filho pediu que ela o ajudasse após levar facadas, em Goiânia. Em um vídeo postado pela mãe na conta do instagram de Henrique, Keyla informou os seguidores e pacientes do filho sobre a morte (veja acima).
“Um desconhecido passou perto e viu ele caído no chão. Ele ainda pediu ajuda, pediu para me ligar, me chamando para ir lá acudir, só que não deu tempo, quando eu cheguei lá ele já estava morto”, disse a mãe com a voz embargada.
Compartilhe no WhatsApp
Compartilhe no Telegram
O psicólogo, que era filho de Policial Militar, foi morto na última segunda-feira (20), próximo ao Parque Mutirama. A Polícia Civil (PC) trabalha com a suspeita de crime de latrocínio, que é o roubo seguido de morte, mas as investigações continuam.
LEIA TAMBÉM:
Psicólogo e filho de policial militar, homem de 29 anos é morto a facadas durante assalto em Goiânia
Vídeo mostra quando adolescente mata homem a facadas após vítima xingar a mãe do garoto, diz polícia
Filho de policial, menino de 7 anos morre vítima de tiro acidental em GO
Ainda em posts feitos nas redes sociais do filho, Keyla anunciou que o corpo de Henrique foi sepultado às 16h30 da última terça-feira (23). A mãe pediu para que os seguidores e amigos fossem até o local para terem uma despedida.
“Henrique não se encontra mais entre nós. Quem quiser se despedir do meu filho, passa lá” disse Keyla.
Até a última atualização desta reportagem, nenhum suspeito do crime foi preso ou identificado pela polícia.
Henrique Rozendo era psicólogo e tinha 29 anos
Reprodução/Redes Sociais
O crime
Segundo informações da mãe de Henrique, Keila, ele havia saído de casa por volta das 15h30 para colocar um piercing na região central de Goiânia. Quando foi por volta de 18h30 a mãe de Henrique recebeu uma ligação informando que ele havia sido esfaqueado.
Henrique, que era psicólogo, foi encontrado ainda vivo, com ferimentos de duas facadas nas costas, por um homem que passava por ali no momento e ouviu o pedido de socorro do jovem. O homem chamou o SAMU e a pedido do filho do PM, ligou para a mãe da vítima para informar o que tinha acontecido. Foi ela quem avisou a polícia.
À TV Anhanguera, Keyla disse que Henrique saiu de casa levando o celular e a carteira, que não estavam mais com ele. Além disso, ela ainda contou que o filho tinha o costume de reagir a assaltos, por isso a polícia trabalha com a hipótese de latrocínio.
📱 Veja outras notícias da região no g1 Goiás.
📱 Participe dos canais do g1 Goiás no WhatsApp e no Telegram.
VÍDEOS: últimas notícias de Goiás
Adicionar aos favoritos o Link permanente.