‘Entrou pela janela’: quem é o pedreiro que confessou ter estuprado e matado mãe e filhas

‘entrou-pela-janela’:-quem-e-o-pedreiro-que-confessou-ter-estuprado-e-matado-mae-e-filhas

Gilberto dos Anjos, de 32 anos, suspeito de estuprar e matar uma mulher e as filhas dela, em Sorriso, Mato Grosso, é pedreiro e já tinha dois mandados de prisão expedidos contra ele por crimes de estupro e latrocínio.

Fotomontagem com duas fotos. À esquerda, uma foto de uma mulher com três filhas, uma adolescente e duas crianças, todas foram estupradas por um pedreiro em Mato Grosso

Melissa, de 10 anos, Manuela, de 13, Miliane, de 19, e Cleci, de 46, foram achadas mortas; Gilberto foi preso – Foto: Reprodução

Ele dormia no piso superior da obra onde trabalhava, próximo à casa das vítimas e possuía apenas a cópia do documento de identidade.

O pedreiro contou que estava sob o efeito de entorpecentes quando invadiu a casa da família, pela janela do banheiro, na sexta-feira (24), para roubar.

A mãe, Cleci Cardoso, de 46 anos, e as filhas Miliane, de 19, e Manuela, de 13, foram estupradas antes de morrer, enquanto agonizavam.

A caçula, Melissa, de 10 anos, foi asfixiada. O marido de Cleci e pai das três meninas é caminhoneiro e estava viajando.

Pedreiro entrou pela janeira para cometer o crime

Gilberto contou que, após a chacina, saiu da casa pela mesma janela por onde entrou e voltou para a obra, onde retirou as roupas sujas de sangue e as guardou em um contêiner.

A Polícia Civil localizou as peças e encaminhou para a perícia. Na sacola também havia roupas íntimas de uma das vítimas.

Foto do carro da polícia Civil para ilustrar matéria sobre um pedreiro que estuprou uma mãe e as filhas

Suspeito de abastecer o tráfico de drogas no Sul de SC foi preso em operação da Polícia Civil – Foto: Divulgação/Polícia Civil/ND

O investigado foi levado para a Penitenciária Dr. Osvaldo Florentino Leite Ferreira, em Sinop (MT). A Polícia Civil continua investigando o caso para saber se há mais pessoas envolvidas.

Identificação do suspeito

Segundo o delegado responsável pelo caso, Bruno França, a perícia confirmou que as marcas de chinelo no piso manchado com sangue, encontradas na casa da família, são compatíveis com o calçado do suspeito.

Além disso, uma das vítimas possuía um tufo de cabelo nas mãos, e o pedreiro, um ferimento na cabeça.

O delegado também afirmou que ele levou as roupas íntimas das vítimas como “lembrança”, o que ajudou a apontá-lo como principal suspeito do crime.

Outros crimes

Gilberto já tinha dois mandados de prisão expedidos por crimes de estupro e latrocínio.

Em setembro deste ano, em Lucas do Rio Verde, Gilberto invadiu uma residência e abusou sexualmente de uma vítima, que estava dormindo.

Após o crime, o pedreiro ainda tentou matar a mulher, que conseguiu reagir, mesmo após ter levado uma facada no pescoço, segundo a polícia.

Outra vítima que também estava na casa tentou intervir e foi atingida com um soco no rosto dado pelo suspeito.

Após os crimes, o homem fugiu em uma bicicleta.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.