Empresário que matou comerciante dentro de bar em Satubinha volta à cadeia; relembre o crime


Justiça revogou a decisão que havia convertido a prisão temporária do suspeito em prisão domiciliar. Crime aconteceu no dia 20 de agosto deste ano. Manoel Crus Sá (à direita) foi flagrado executando a tiros um comerciante dentro de um bar em Satubinha
Montagem/g1
O empresário Manoel Crus Sá, flagrado executando a tiros um comerciante dentro de um bar em Satubinha, a 280 km de São Luís, voltou ao presídio de Bacabal nesta terça-feira (21).
Compartilhe no WhatsApp
Compartilhe no Telegram
O desembargador Ronaldo Maciel aceitou argumentos do Ministério Público Federal (MPF), e revogou a decisão que havia convertido a prisão temporária do suspeito em prisão domiciliar.
O habeas corpus tinha sido concedido pelo desembargador Douglas Airton Ferreira Amorim, no dia 17 de outubro, após a defesa de Manoel alegar que ele teria uma doença grave e não conseguiria receber o tratamento dentro da penitenciária.
No entanto, após ter a prisão preventiva decretada novamente pela Justiça, Manoel Crus Sá voltou à cadeia.
Relembre o crime
VÍDEO: homem é executado a tiros dentro de bar no Maranhão
O crime aconteceu no dia 20 de agosto contra Antônio Cantanhede da Silva, de 55 anos, que era dono do bar e teria pedido para Manoel desligar o som automotivo dele para que fosse possível ligar o som ambiente do estabelecimento.
Porém, segundo as investigações, houve uma discussão entre Manoel e Antônio, seguida de uma luta corporal. Nas imagens da câmera de segurança (veja acima) há o momento em que Manoel saca uma arma e dispara dois tiros contra o comerciante na região da barriga. Antônio não resistiu a gravidade dos ferimentos e morreu no local.
Comerciante Antônio Cantanhede Silva tinha 55 anos e foi morto em seu estabelecimento situado em Satubinha (MA).
Reprodução/TV Mirante
Após o crime, Manoel Crus fugiu para Bacabal pela BR-316, mas perto da zona rural da cidade acabou interceptado pela Polícia Militar, desobedeceu a ordem de parada e os policiais foram obrigados atirar contra os pneus do carro para que ele parasse.
Manoel acabou preso pelo crime de homicídio qualificado por motivo fútil e porte ilegal de arma de fogo.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.