Empresário cai de cavalo, tem morte cerebral, e família autoriza doação de órgãos no ES


Péricles participava de uma cavalgada noturna, popularmente conhecida como “revoada”. “Ele irá viver outras vidas”, diz tia. A família autorizou a doação de órgãos do empresário Péricles Junior
Reprodução | Instagram
A família autorizou a doação dos órgãos do empresário Péricles Junior, de 31 anos, que morreu depois de cair de um cavalo durante uma cavalgada em Vila Velha, na Grande Vitória. Os órgãos devem beneficiar pacientes da fila de transplante no Espírito Santo. O acidente foi no último dia 17, na Barra do Jucu. O empresário chegou a ficar internado por cerca de quatro dias, mas teve a morte cerebral constatada na quarta-feira (22).
Compartilhe no WhatsApp
Compartilhe no Telegram
Ainda nesta quinta-feira (23) a família aguardava a finalização dos procedimentos para a doação dos órgãos de Péricles.
📲 Clique aqui para seguir o canal do g1 ES no WhatsApp
Minha irmã [mãe de Péricles] e meu cunhado decidiram que ele irá viver outras vidas, dando a oportunidade para quem também precisa. Isso nos conforta um pouco.
LEIA TAMBÉM:
Espírito Santo tem recusa de 50% na doação de órgãos
Doação de órgãos: mesmo com decisão do doador, em caso de morte, palavra final é da família; entenda
“Era um menino muito bom, de família e de Deus. Ia de casa para o trabalho, e do trabalho para casa. Carregava um sorriso lindo por onde passava”, lamentou Nilce Marques, tia de Péricles.
Acidente em cavalgada
Péricles Junior caiu de um cavalo na última sexta-feira (17), em Vila Velha
Reprodução | Instagram
Péricles participava de uma cavalgada noturna, popularmente conhecida como “revoada”. Segundo a tia do empresário, Nilce Marques, o acidente aconteceu por volta das 2h da madrugada.
Quem estava presente no local não soube informar como, de fato, aconteceu a queda, mas desconfiam que Péricles possa ter batido a cabeça contra um meio-fio ou no joelho do cavalo.
“Na hora, ele só reclamou de dor de cabeça. Os amigos falaram para chamar o Samu, mas disse que não precisava. Todo mundo viu que o Péricles não tinha cortes, nenhum machucado visível. Ele só repetia que estava com dor e que queria ir logo para casa, para dormir na cama dele”, contou Nilce.
LEIA TAMBÉM:
Bateu a cabeça? Entenda os riscos e saiba identificar os sinais de alerta
Alguns minutos depois, o empresário quis ir embora, e os amigos chamaram um motorista de aplicativo para levá-lo até onde ele tinha estacionado o próprio carro. Péricles disse que iria para casa, no bairro Novo México, o que não aconteceu.
“Já perto de casa, a uns cinco minutos de distância, ele estacionou o carro em uma das ruas da região e ali ficou. Isso já eram 3h. Meu cunhado [pai do empresário] que achou o Péricles, por volta das 10h. Estava muito quente, e ele dentro do carro, fechado, caído para o lado do carona. Já o colocaram na calçada e o molharam, porque estava completamente ensopado [de suor]”, detalhou Nilce.
O momento em que Péricles estacionou o veículo durante a madrugada foi registrado por câmeras de uma casa da região. Nas imagens é possível ver que o empresário abre a porta várias vezes para vomitar, até que fecha e não abre mais. A partir disso, só é encontrado quase sete horas depois.
Mobilização da família
Péricles mantinha contato frequente com a família, e por isso, os parentes logo desconfiaram que havia algo de errado. Uma das hipóteses era que o empresário havia dormido fora de casa, sem avisar. Nas primeiras horas de sábado (18), houve uma intensa mobilização para que ele fosse encontrado.
O empresário foi socorrido ainda com vida para o Hospital São Lucas, em Vitória.
“Descobriram que ele teve traumatismo craniano. Também apresentou hemorragia e, como ficou muito tempo caído no carro, deve ter sofrido uma pressão em um dos lados da cabeça. Os médicos afirmaram que ele ainda teve duas costelas quebradas”, relatou a tia de Péricles.
A ficha ainda não caiu. Parece que foi tudo um pesadelo; que vamos acordar, e que nada vai ter acontecido.
O velório de Péricles deve ocorrer nesta sexta-feira (24) em Vila Velha, no Centro Comunitário de Vila Nova, e o enterro no cemitério de Santo Antônio, em Vitória.
*Texto produzido por Isabelle Oliveira, aluna do 26º Curso de Residência em Jornalismo. Este conteúdo teve edição e supervisão de Álvaro Guaresqui.
Vídeos: tudo sobre o Espírito Santo
Veja o plantão de últimas notícias do g1 Espírito Santo
Adicionar aos favoritos o Link permanente.