Em reunião do G20, Lula diz esperar que trégua em Gaza possa ser ‘caminho’ para o fim do conflito


Declaração do presidente foi durante reunião virtual de líderes do grupo. Acordo fechado entre Israel e Hamas prevê trégua de quatro dias nos confrontos, com libertação de reféns. Reunião virtual de líderes do G20
Reprodução
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou nesta quarta-feira (22), durante reunião de líderes do G20, que espera que a trégua na guerra entre Israel e o Hamas “possa pavimentar o caminho para uma saída política e duradoura” para o conflito no Oriente Médio.
Lula participou de uma reunião virtual com chefes de Estado e de governo dos países do G20. O grupo, que reúne representantes de 19 países e da União Europeia – nações representam cerca de 80% da economia global –, será presidido pelo Brasil a partir de dezembro.
O acordo entre Israel e o grupo terrorista Hamas prevê a libertação de 50 reféns em troca de uma pausa de quatro dias no combate. As informações foram divulgadas pelo gabinete de Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel.
“Espero que esse acordo possa pavimentar o caminho para uma saída política e duradoura para este conflito e para a retomada do processo de paz entre Israel e Palestina”, afirmou Lula.
O discurso do presidente não foi transmitido ao vivo pelos canais do governo brasileiro. A assessoria de Lula divulgou uma transcrição da fala durante a reunião por vídeo.
Lula afirmou que o G20 tem um ‘papel central a cumprir’ na tarefa de “recolocar o mundo no caminho da paz e da prosperidade”.
Mandato do Brasil
O mandato do Brasil na presidência do G20 começa no dia 1º de dezembro e termina em 30 de novembro de 2024. O Rio de Janeiro será a sede da cúpula de líderes no próximo ano.
Durante a reunião desta quarta, no encerramento do mandato da Índia à frente do G20, Lula informou que presidência do Brasil terá como principal eixo a redução de desigualdades, dividida em três pontos:
inclusão social e combate à fome à pobreza;
transição energética e desenvolvimento sustentável;
reforma da governança global.
Lula também afirmou que o lema da presidência brasileira será “Construindo um Mundo Justo e um Planeta Sustentável”
O presidente informou que serão criadas duas forças-tarefas: uma contra a fome e a desigualdade, e outra contra a mudança climática, além de uma ação voltada à bioeconomia.
Lula deseja que o G20 tenha propostas para preservação do meio ambiente e redução das desigualdades até a COP 30, que será realizada no Brasil em 2025.
“Isso só será possível abordando seriamente o endividamento, o acesso a financiamento e mecanismos progressivos de tributação”, afirmou.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.