Dengue: bastam 10 minutos por semana para eliminar focos do aedes aegypti dentro de casa; veja dicas


Para quem tiver mesmo que ficar longe por muito tempo, a dica é se prevenir: recolher todos os objetos que possam acumular água e se tornar criadouros. Dengue: bastam 10 minutos por semana para eliminar focos do aedes aegypti dentro de casa; veja dicas
Jornal Nacional/Reprodução
Neste momento em que a saúde pública do Brasil é desafiada mais uma vez por um mosquito, a Fiocruz concluiu que bastam dez minutos por semana para eliminar os focos do aedes aegypti dentro de casa.
A Érika e a Márcia não deixam agua parada no quintal.
“Se tem festa, tem latas, garrafas. Eu sempre lavo, passo uma água, deixo de boca para baixo escorrendo”, conta Márcia.
Mas o pesquisador da Fiocruz Fabiano Carvalho achou uma situação perigosa.
“Aqui está ótimo porque a caixa d’água está fechada, mas tem que ficar de olho nesse buraquinho, que pode servir de passagem para o mosquito. E aproveitar para cuidar também dos telhados, também pode surgir um novo criadouro ali”, comenta ela sobre o quintal da Márcia.
O ciclo do mosquito é assim: a fêmea pica uma pessoa, se alimenta do sangue para produzir os ovos, mas em vez de colocar todos no mesmo lugar, ela distribui em torno de 100 ovinhos, em reservatórios diferentes. Divide, por exemplo, um pouco em pneus, pratinhos de plantas, tampas de lixo… objetos que acumulam água.
Os ovos do aedes aegypti ficam nesses reservatórios por, em média, um ano, esperando chuva, por exemplo, para começar o seu ciclo. Quando ela chega, liberam larvas, que precisam da água para viver e aí viram pupa e depois se transformam no mosquito.
“É uma estratégia evolutiva que ela desenvolveu para poder ficar na natureza, que às vezes a gente elimina 1,2,3 e tem outro ainda para ela continuar no local”, explica Fabiano.
“Se a gente acha larva em um recipiente, tem que procurar em outros, ela pode colocar em vários outros lugares?”, questiona Márcia.
“Sim, é um sinal que vários outros reservatórios próximos podem também conter larvas”, responde Fabiano.
Por isso, é importante um pente fino, em casa, toda semana. “Mas se acontecer de eu viajar e ficar uma semana, 15 dias sem limpar?”, pergunta Érika.
“O prazo que a gente colocar de limite são 7 dias, porque o ciclo de desenvolvimento do mosquito é em torno de 8 dias, então, quando a gente coloca 7 dias é porque ai você interrompe o ciclo de desenvolvimento do mosquito e não deixa ele atingir a fase adulta”, esclarece o pesquisador da Fiocruz.
Para quem tiver mesmo que ficar longe por muito tempo, a dica do pesquisador é se prevenir: recolher todos os objetos que possam acumular água e se tornar criadouros. Vale também pedir uma ajudinha a um amigo ou parente que possa fazer a vistoria na casa.
Se você encontrar larvas na sua casa, a Fiocruz alerta que esse é o melhor jeito para você se livrar delas: joga a água em qualquer piso quente para ela evaporar ou então na terra mesmo, porque a água escorre e as larvas acabam morrendo. Depois, com detergente e bucha, esfrega bastante o recipiente antes de jogar fora ou de guardar, para ter certeza de que não sobraram nem ovos, nem larvas.
“Não elimine a água, por exemplo, no tanque, na pia, em algum ralo, porque essa larva pode encontrar alguma água parada ali no sistema, na tubulação e completar o ciclo e mosquito sair depois. A gente troca o mosquito de lugar”, alerta Fabiano Carvalho.
“É uma questão séria que eu acho que todo mundo deveria fazer. É uma contribuição para a gente e para os vizinhos, porque não adianta só um fazer, eu dedetizar a minha casa, o vizinho, não. Não resolve”, comenta Márcia Motta.
LEIA TAMBÉM
Existe um sangue preferido pelo Aedes aegypti? Saiba o que é verdade e o que é mito sobre o mosquito
Aedes aegypti: 12 cidades da região já decretaram situação de emergência por conta das doenças causadas pelo mosquito
Adicionar aos favoritos o Link permanente.