Criminosos criaram perfil para intimidar delegado durante onda de assassinatos em Palmas, diz polícia


Suspeito de ser um dos responsáveis pelas mortes foi preso no Mato Grosso e transferido para o Tocantins. Criminoso chamado de ‘Luxúria’ seria parceiro de Dad Charada; polícia diz que eles foram responsáveis por cerca de 50 mortes. Membros de facção ameaçam delegado que investigava crimes
Criminosos tentaram intimidar o delegado de homicídios Eduardo Menezes durante a investigação da onda de assassinatos registrada em Palmas no primeiro semestre de 2023. Eles chegaram a fazer um perfil nas redes sociais e começaram mandar mensagens, além de curtir fotos do delegado com a esposa.
Compartilhe no WhatsApp
Compartilhe no Telegram
A informação foi divulgada pelo próprio delegado durante coletiva realizada na manhã desta sexta-feira (24) para apresentar a transferência de um homem identificado como Luxúria, que é apontado como um dos mentores da onda de assassinatos.
O perfil criado pelos criminosos se chamava Tropa do LX. Em uma das mensagens enviadas o grupo diz: “Não deixa os […] sair pra rua não. Esse ano vamos matar mais uns 50 deles”. O delegado também recebeu um vídeo de vários homens segurando armas.
“A gente percebeu que o trabalho estava dando resultado. Lógico que a gente fica receoso principalmente por conta da família, mas percebemos que estava dando resultado e incomodando”, disse.
O nome do suspeito transferido para o estado não foi informado, sendo identificado apenas pelo apelido de Luxúria ou LX. Ele seria o maior líder de uma facção criminosa em Palmas. O g1 não conseguiu nenhum contato da defesa dele.
LEIA MAIS
Operação Gotham City prende ‘Charada’, apontado pela polícia como articulador de 50 mortes em Palmas
Homem negro de até 30 anos e da periferia: o perfil dos mortos na onda de homicídios na capital do Tocantins em 2023
Parceiro de Dad Charada
O delegado Eduardo Menezes afirmou que LX teria sido o responsável por recrutar Charada de um grupo criminoso rival. Depois, eles supostamente começaram uma guerra contra a antiga facção de Charada pelo controle do tráfico de drogas.
“Ele é o 01 na escala hierárquica da facção. Ele recruta o Dad Charada que era da facção rival e coloca como uma espécie de gerente desses ataques”, disse.
Charada foi preso em julho deste ano no Rio Grande do Sul e morreu no presídio de Araguaína, dias após ser transferido para o Tocantins.
De acordo com a própria Secretaria de Segurança Pública (SSP), foram 96 homicídios apenas nos primeiros 180 dias do ano. A polícia diz que LX e Charada teriam ordenado pelo menos 50 mortes.
Luxúria foi preso em Rondonópolis (MT) por uma equipe do Batalhão de Operações Especiais (Bope), no fim de agosto, e transferido para Palmas nesta quinta-feira (23). Ele está preso na Unidade Penal de Palmas. As investigações continuam para identificar outros envolvidos nas mortes.
Dad Charada foi encontrado morto em cela
Divulgação
Relembre
Em 2023 Palmas passou por uma onda de violência e assassinatos sem precedentes. Até o fim de junho a cidade registrou 90 mortes. O aumento foi de 210% se comparado ao mesmo período do ano passado, quando tinham sido 29.
A Secretaria de Segurança Pública (SSP) atribui mais de 60% das mortes à guerra de facções. Apesar disso, levantamento feito pelo g1 com dados da própria SSP, apontaram que mais da metade das vítimas de homicídio até 15 de maio não tinham passagem pela polícia.
📱 Participe da comunidade do g1 TO no WhatsApp e receba as notícias no celular.
Veja mais notícias da região no g1 Tocantins.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.