Coreia do Norte suspende acordo militar com a Coreia do Sul após lançamento de satélite


Tratado estava em vigor desde 2018 e tinha como objetivo reduzir tensões militares. Inteligência da Coreia do Sul afirma que Pyongyang recebeu ajuda da Rússia para lançamento. Militares sul-coreanos ficam de guarda do lado sul da fronteira com a Coreia do Norte em foto de arquivo de junho de 2019
AP Photo/Ahn Young-joon/Arquivo
A Coreia do Norte anunciou que suspendeu um acordo com a Coreia do Sul para reduzir as tensões militares, na quarta-feira (22). O tratado assinado em 2018 foi suspenso um dia depois do lançamento de um satélite militar norte-coreano, segundo a agência de notícias Yonhap.
“Nos retiraremos das medidas militares tomadas para prevenir tensões militares e incidentes em todas as áreas, como terra, mar e ar, e colocaremos forças fortemente armadas e equipamento militar avançado nas zonas fronteiriças”, afirmou o Ministério de Defesa norte-coreano.
O governo da Coreia do Norte declarou que não se deixará ser detido pelo acordo.
Nesta quarta-feira, a Coreia do Sul indicou que o acordo havia sido parcialmente suspenso. Seul anunciou que retomaria as operações de vigilância na fronteira como resposta ao lançamento de um satélite espião por parte da Coreia do Norte.
O lançamento do satélite Mallingyong-1 foi condenado pelos Estados Unidos e seus aliados, que o consideraram uma “violação descarada” das sanções da ONU.
A Coreia do Norte afirmou que o satélite está em órbita e que Kim Jong-un já revisou imagens de bases militares americanas em Guam.
Segundo o exército sul-coreano, o satélite entrou em órbita, mas é cedo demais para dizer se funciona. A agência de inteligência do país afirmou ainda que a Coreia do Norte recebeu ajuda da Rússia para lançamento do equipamento.
A Coreia do Sul acredita que o regime de Kim Jong-un pode lançar outros satélites no próximo ano. Também há chances de que Pyongyang faça um teste nuclear em 2024.
VÍDEOS: mais assistidos do g1
Adicionar aos favoritos o Link permanente.