Com salários atrasados, funcionários terceirizados do HUT fazem paralisação


Eles denunciaram que estão há dois meses sem receber salário. A Câmara Municipal de Teresina aprovou o uso de parte de empréstimo de R$ 500 milhões para pagar os terceirizados. Servidores denunciaram que estão há dois meses sem receber.
Ilanna Serena/g1
Funcionários terceirizados do Hospital de Urgência de Teresina (HUT) realizaram um protesto na manhã desta quarta-feira (22) e paralisaram suas atividades devido o atraso de salários. Eles denunciaram que estão há dois meses sem receber e por isso precisam de outros trabalhos para complementar a renda.
Maqueiros, agentes de portaria e auxiliares de serviços gerais estão entre os setores grevistas. Procurada, a Prefeitura de Teresina não se manifestou sobre o atraso de salário dos funcionários.
Compartilhe esta notícia no WhatsApp
Compartilhe esta notícia no Telegram
Sindicato dos terceirizados diz que valor de atrasados pode não ser suficiente
Segundo Jonatas Miranda, presidente do Sindicato dos Empregos em Empresas de Asseio e Conservação do Piauí (Seeacep), apesar da não paralisação total dos servidores, já que por lei os serviços essenciais não podem parar, os funcionários não estão sendo pagos por sua empresa que, alega, regularizar parte dos pagamentos até a sexta-feira (24).
“Hoje é o movimento da categoria da área da saúde também, que está assim como as outras categorias, com seus salários atrasados. Mas nós tivemos hoje uma notícia por parte da direção da empresa e que até sexta-feira vai regularizar o pagamento do pessoal da saúde”, relatou.
LEIA TAMBÉM:
Diante de atrasos em pagamentos, Prefeito de Teresina alega erro no orçamento de 2023 e pede desculpas à população
Há dois meses sem salário, funcionários terceirizados entram em greve no Hospital do Monte Castelo, em Teresina
Vereadores aprovam uso de parte de empréstimo para pagar terceirizados
Os vereadores da Câmara Municipal de Teresina aprovaram, em regime de urgência nesta quarta-feira (22), o pedido de autorização da Prefeitura Municipal para empregar recursos provenientes do empréstimo de R$ 500 milhões junto ao Banco do Brasil. A finalidade é quitar os salários dos servidores terceirizados.
Em junho de 2022, a Câmara Municipal aprovou a autorização para o empréstimo, inicialmente destinado a obras de mobilidade urbana e infraestrutura na capital piauiense.
O secretário imediato do prefeito, Danilo Bezerra, informou sobre planos de reestruturação administrativa e redução de custos para evitar futuros problemas.
“Paralelamente a isso, a gente já está planejando uma reestruturação administrativa, uma redução de custos em relação aos terceirizados para que não aconteça esse mesmo problema no futuro e a gente consiga mensalmente, ordinariamente cumprir as nossas obrigações”, disse Danilo Bezerra.
Problema se arrasta para diversos setores
Funcionários terceirizados da Prefeitura de Teresina entram em greve
Reprodução/TV Clube
Funcionários terceirizados da Prefeitura Municipal de Teresina realizaram um protestos e anunciaram greve devido ao atraso no pagamento de salário. Eles denunciaram que estão há três meses sem receber e relataram dificuldades até mesmo para comprar comida.
Agentes de portaria, auxiliares de serviços gerais e merendeiras estão entre os setores grevistas.
Segundo Jonatas Miranda, presidente do Sindicato dos Empregos em Empresas de Asseio e Conservação do Piauí (Seeacep), os funcionários não estão sendo pagos por suas empresas que, alegam, não terem verbas devido à falta de repasses da Prefeitura Municipal de Teresina.
📲 Confira as últimas notícias do g1 Piauí
📲 Acompanhe o g1 Piauí no Facebook, no Instagram e no Twitter
📲 Participe da comunidade do g1 Piauí no WhatsApp e no Telegram
VÍDEOS: Assista às notícias mais vistas da Rede Clube
n
Adicionar aos favoritos o Link permanente.