Caso Kelber: homem que matou a mulher e o filho é julgado em Blumenau

caso-kelber:-homem-que-matou-a-mulher-e-o-filho-e-julgado-em-blumenau

O julgamento de Kelber Henrique Pereira, acusado de matar Jéssica Ballock, de 23 anos, e o filho de três meses de idade acontece nesta quarta-feira (22), em Blumenau.

O crime aconteceu na madrugada do dia 24 de julho de 2022. Kelber é acusado de degolar a esposa e matar o filho mais novo com requintes de crueldade, no apartamento da família no bairro Velha.

Kelber Henrique Pereira vai a júri popular nesta quarta-feira (22)

Justiça negou pedido de sanidade mental para Kelber Pereira – Foto: Divulgação/Polícia Civil/ND

De acordo com a denúncia do MPSC (Ministério Público de Santa Catarina), Kelber asfixiou a companheira enquanto ela dormia no quarto do casal e, em seguida, a agrediu com diversos golpes de faca na região do pescoço. Ele teria utilizado a mesma faca para matar o filho mais novo.

Os corpos foram encontrados na manhã do dia 25 de julho. Após o crime, Kelber deixou Santa Catarina, levando consigo o filho mais velho de Jéssica, que foi encontrado alguns dias depois em Munhoz, Minas Gerais, com os pais do acusado.

Após o crime, Kelber confessou em um vídeo ter matado a mulher e o filho ao beber e utilizar drogas no dia do ocorrido. Ele foi preso em São Paulo.

O MPSC denunciou Kelber pelo homicídio qualificado de Jéssica, mediante recurso que dificultou a defesa da vítima, com o emprego de asfixia e de meio cruel, feminicídio, envolvendo violência doméstica e familiar, na presença física dos descendentes da vítima.

Kelber confessou ter matado Jéssica Bullock e o filho – Foto: Divulgação/ND

Ele também é acusado por homicídio qualificado do filho, por motivo torpe, mediante recurso que impossibilitou a defesa da vítima, com o emprego de meio cruel, contra menor de 14 anos, com causa de aumento por ser o pai da vítima, e apropriação indébita.

Caso Kelber: como vai funcionar o julgamento?

A sessão inicia às 9h, no Tribunal do Júri do município. Após confirmação da presença dos jurados, é feito o sorteio de sete jurados que constituirão o Conselho de Sentença da sessão de julgamento. Prestado o compromisso pelos jurados, será iniciada a instrução plenária.

As testemunhas começam a serem ouvidas, sendo sete de acusação e duas de defesa. Em seguida, o réu é interrogado.

Na sequência, MPSC (Ministério Público de Santa Catarina), representado pelo promotor de Justiça Carlos Alberto da Silva Galdino, e o advogado de defesa do acusado, Rodolfo Warmeling, iniciam os debates.

Há ainda uma hora para a réplica da acusação e outra para a tréplica da defesa, se houver. Ao final, o juiz passa a ler os quesitos que serão postos em votação e, se não houver nenhum pedido de explicação a respeito, os jurados, o escrivão, o promotor de justiça e o defensor são convidados a se dirigirem à sala secreta, onde ocorrerá a votação.

A sentença é dada pela maioria dos votos dos jurados. Após essa etapa, a sentença é proferida pelo juiz, em frente ao réu e a todos presentes.

Procurado pelo ND+, o advogado de defesa de Kelber explicou que a expectativa é que ocorra um julgamento justo “de modo a possibilitar os trabalhos às partes para que ao final tenhamos um resultado justo em que o réu deva responder na medida de sua culpabilidade. Vamos trabalhar com todos os elementos de prova que foram produzidos no transcurso do processo, alegar o que há de interesse defensivo e exercer uma defesa técnica a altura que o processo exige”, disse Warmeling.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.