Atletas amadores do mundo todo vão poder viver uma experiência única nos Jogos Olímpicos de Paris

Eles vão correr uma maratona utilizando exatamente o mesmo percurso da prova mais tradicional dos Jogos. Desde 2019, as vagas vem sendo preenchidas por quem aderiu ao projeto Maratona para Todos. Atletas amadores do mundo todo vão poder correr a maratona nas Olimpíadas de Paris
Atletas amadores do mundo todo vão poder viver uma experiência única nos Jogos Olímpicos de Paris.
Correr diante de um cenário inspirador. Rotina no Rio de Janeiro que vai se repetir em outra cidade onde sobram cartões postais.
“Eu vou correr em Paris. Vou fazer uma maratona em Paris”, comemora a professora de Educação Física Paula Neves.
A Paula faz parte de um grupo privilegiado. Atletas amadores que foram selecionados para algo inédito na história olímpica: correr uma maratona, utilizando exatamente o mesmo percurso da mais tradicional prova dos Jogos. Emoção para ser compartilhada.
“E somos mais de 40 mil pessoas, então sso é uma ‘responsa’ muito grande”, diz a aposentada Marinês Mello.
Os grupos vão se dividir entre os que correm 10 km e aqueles que vão encarar os 42 km e 195 m da maratona.
“A gente passou por uma seletiva. Tinha que ter a disciplina de cumprir os desafios e também um pouco de sorte de estar no meio e ser sorteado”, conta o jornalista Isaac de Souza.
Desde 2019, as vagas vem sendo preenchidas por quem aderiu ao projeto Maratona para Todos, cumprindo treinos propostos por meio de um aplicativo ou do site oficial do programa. Um sorteio, então, contemplou corredores de 110 países diferentes. Dos 16 aos 95 anos – igualmente divididos entre homens e mulheres, reunindo milhares de histórias e marcas impressionantes.
“Na verdade, eu queria fazer uma maratona, mas não sabia que ia gostar tanto. E estou aqui querendo concluir a centésima”, diz Marinês.
Os custos é que correm por conta própria. A organização não vai oferecer passagem e hospedagem para os participantes e, no dia da prova, eles terão seis horas para concluir o trajeto – que os profissionais fazem em pouco mais de duas horas.
“Não vai ter competição. A gente pode marcar tempo, mas não vai ser divulgado tempo de ninguém. Não vai ter primeiro lugar, segundo, terceiro lugar e tal. A gente vai ter o tempo da gente”, conta Marinês.
A maratona dos atletas de elite, valendo medalhas, segue o padrão das edições anteriores: 80 homens e 80 mulheres em dias e horários diferentes.
“Hoje, eu posso dizer: eu sou um atleta olímpico, amador, mas sou um atleta olímpico”, afirma Isaac de Souza
Orgulho que não dá para esconder.
“Até agora, eu não tinha falado para ninguém. Meu segredo acabou”, brinca Paula.
Faltam 151 dias para a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Paris.
LEIA TAMBÉM
Contagem regressiva: a jornada intensa dos atletas brasileiros rumo às Olimpíadas de Paris
Preços de hospedagens disparam em Paris para as Olimpíadas de 2024
Adicionar aos favoritos o Link permanente.