Após deslizamentos, região do Portão do inferno é interditada na MT-251


Com a determinação, veículos de carga terão que sair de Cuiabá até Campo Verde, a 139 km da capital, e depois seguir para Chapada dos Guimarães. Segundo a portaria, a decisão foi tomada pelo aumento significativo de fluxo de veículos de carga nas rodovias estaduais
Leandro Trindade/TVCA
O trânsito de veículos de carga na região do Portão do Inferno, trecho da MT-251 que liga Cuiabá ao município de Chapada dos Guimarães, a 65 km de Cuiabá, está interditado por tempo indeterminado. A portaria foi publicada pela Secretaria de Estado de Infraestrutura e Logística (Sinfra-MT) nesta quarta-feira (13) e começa a valer imediatamente.
Segundo a portaria, a decisão foi tomada após o aumento significativo de fluxo de veículos de carga nas rodovias estaduais, o que causa degradação precoce do pavimento e o estremecimento da rodovia gera constantes deslizamentos no ponto turístico do Portão do Inferno.
A proibição vale para dias úteis, feriados, finais de semana em qualquer horário.
De acordo com Coronel César, comandante de trânsito da Polícia Militar, os veículos de carga terão que sair de Cuiabá até Campo Verde, a 139 km da capital, e depois seguir para Chapada dos Guimarães. Com isso, a distância de Cuiabá para Chapada dos Guimarães deixa de ser 65km para 190km, em média.
Estão proibidos de transitar pela MT-251:
Veículos de carga
Combinações de veículos de carga (CVC)
Combinações de transportes de Veículos (CTV)
Cargas indivisíveis
Ônibus rodoviário convencional
Ônibus rodoviário com reboque
Portão do Inferno, na estrada para Chapada dos Guimarães.
Sinfra-MT/Reprodução
Nessa quinta-feira (14), outro trecho da MT-251 será interditado para todos os veículos durante o período de 9h às 11h, no km 32, para a retirada de uma árvore que corre o risco de desabar sobre a pista.
✅ Clique aqui para seguir o canal do g1MT no WhatsApp
O prefeito de Chapada dos Guimarães, Osmar Froner de Mello (MDB), disse que entende que a faixa de domínio é de uso comum da população e solicita junto ao ICMBio a liberação de uma medida judicial para garantir que o estado cuide da rodovia e permita que o trânsito flua de forma segura e contínua.
“O acesso de ligação do município de Chapada dos Guimarães com a capital é pela MT-251 passando pelo Portão do Inferno. Precisamos de uma resposta do ICMBio para não prejudicar a economia e o turismo de Chapada, além dos municípios vizinhos do sul e do leste mato-grossense”, disse.
🚧Os deslizamentos
A região do Portão do Inferno, na MT-251, em Chapada dos Guimarães, a 65 km de Cuiabá registrou dois deslizamentos de terra em menos de 24 horas. Na tarde de segunda-feira (11), motoristas que passavam no local gravaram parte das rochas caídas na pista. À noite, outro vídeo mostra policiais atuando na liberação da via, bloqueada por outro deslizamento. (Veja vídeo abaixo)
Em menos de 24h, Portão do Inferno registra dois deslizamentos de terra
Os vídeos mostram os veículos transitando na estrada, que não possui nenhuma proteção.
Em novembro, um relatório divulgado e feito por uma empresa de consultoria especializada apontou rachaduras e quedas de rochas recentes na MT-251.
🚧O relatório identificou 10 locais com riscos de acidente geotécnico e constou risco de deslizamento desde 2021.Três pontos são considerados de criticidade elevada. O documento cita que as rochas apresentam folhelhos alternados com arenitos e que o sistema é muito drenante, fazendo com que a água se infiltre.
Pontos 7, 8 e 9, considerados os os mais críticos, segundo relatório
Azambuja Engenharia e Geotecnia
O local abrange o Parque Nacional de Chapada dos Guimarães que é administrado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).
O ICMBio informou por meio de nota que recebeu os relatórios de análise de medidas de redução de riscos na rodovia e que no início de dezembro realizou uma reunião com a Sinfra, em que ficou decidido que o licenciamento das obras propostas é de responsabilidade do órgão estadual e deve ser feito junto ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).
A Secretária Adjunta de Obras Rodoviárias da Sinfra-MT, Nivea Calzolari, alertou os motoristas que trafegam pela região, pedindo para que observem bem a localidade, se atentando principalmente à velocidade e que redobrem o cuidado em dias de chuva.
O prefeito de Chapada dos Guimarães, Osmar Froner de Mello (MDB), disse que entende que a faixa de domínio é de uso comum da população e solicita junto ao ICMBio a liberação de uma medida judicial para garantir que o estado cuide da rodovia e permita que o trânsito flua de forma segura e contínua.
“O acesso de ligação do município de Chapada dos Guimarães com a capital é pela MT-251 passando pelo Portão do Inferno. Precisamos de uma resposta do ICMBio para não prejudicar a economia e o turismo de Chapada, além dos municípios vizinhos do sul e do leste mato-grossense”, disse.
Adicionar aos favoritos o Link permanente.